O mercado das altcoins não para de crescer e entre as inúmeras opções, uma dúvida comum é se XRP Ripple vale a pena. Essa moeda digital funciona um pouco diferente das que estamos acostumados, por isso é importante entendê-la a fundo antes de tomar uma decisão.

Neste conteúdo, nós trouxemos as principais informações sobre a XRP Ripple que vão lhe ajudar a decidir se a moeda é ideal para seus investimentos.

O que é Ripple?

Ripple é um protocolo de pagamentos de propriedade privada desenvolvido em 2012 pelo programador Jed McCaleb e pelo executivo Chris Larsen por sua empresa também conhecida como Ripple.

A ideia do sistema é facilitar a transferência de moedas físicas, criptomoedas, ouro e até milhas entre as pessoas jurídicas de diversas partes do mundo em troca do pagamento de uma taxa de transação. É possível até mesmo transacionar Bitcoin usando Ripple.

A criptomoeda oficial do protocolo Ripple é a XRP Ripple. A cada transação realizada pelo Ripple, é cobrada uma taxa em XRP. Quem compra XRP, acredita que o protocolo Ripple será cada vez mais usado – o que significa um número cada vez maior de XRP em circulação.

Como funciona o Ripple?

Embora qualquer pessoa possa comprar a XRP Ripple e mantê-la em suas carteiras, inicialmente o Ripple surgiu como um token para fornecer liquidez para os bancos e agentes financeiros. Mais de 100 empresas em todo o mundo já adotam esse sistema que garante transações rápidas, seguras e mais baratas.

A XRP Ripple funciona como uma moeda-ponte. Por exemplo, caso o banco não trabalhe com Reais e Pesos Argentinos, ele poderá converter Reais para XRP e depois XRP para Pesos.

A Blockchain também é diferente. O RippleNet é muito mais escalável, aguentando até 50 mil transações por segundo e mais rápido, com as transferências sendo confirmadas em 4 segundos.

Como o Ripple é um sistema usado pelos principais bancos do mundo (como Santander, Bank of America Merrill Lynch, entre outros), o valor da moeda virtual tem subido bastante.

Desde a sua criação, o Ripple já desenvolveu diversos produtos que integram o Ripple Network, que são:

1)    XCurrent, sistema criado para que as transações sejam feitas de maneira instantânea;

2)    XRapid, nome dado à moeda XRP Ripple no sistema XCurrent;

3)    XVia, interface de pagamento do Ripple;

4)    XRP, criptomoeda do Ripple.

Como é feita a mineração?

A mineração é um processo bem comum em várias criptomoedas, como no Bitcoin, em que há um esforço computacional para que as transações sejam registradas na Blockchain, com a remuneração dos mineradores.

No Ripple, não existe mineração. Quem valida as transações é um grupo indicado pela empresa Ripple Labs. A validação funciona por uma espécie de votação em diversos servidores, que confirmam sua autenticidade.

Nas outras criptomoedas, a mineração é importante, pois ajuda a criar novas criptos. No Ripple, o criptoativo já nasceu com 100 bilhões de tokens emitidos, sendo que destes, 20% foram destinados aos fundadores.

Diferente do que acontece com outras criptomoedas, com a XRP Ripple não existe o processo de mineração.

XRP Ripple x Bitcoin: quais as diferenças?

As diferenças entre Ripple e Bitcoin já começam nos seus objetivos. O Bitcoin foi criado para ser uma moeda digital destinada para o pagamento de bens e serviços. Já o Ripple é um sistema de liquidação, troca de moeda e remessa de pagamento, destinado aos bancos e demais redes de pagamento.

Outra diferença é em relação à tecnologia. O Bitcoin é baseado na Blockchain, enquanto o Ripple não usa blockchain e sim um livro de consenso distribuído. A rede de servidores de validação do tokens é chamada de XRP Ledger.

Por essas diferenças básicas, o tempo de confirmação das transações também é distinto. No Ripple, ele é de 4 segundos, enquanto no Bitcoin pode chegar a até 10 minutos. Assim, a capacidade computacional do Ripple ultrapassa as 1500 transações por segundo, enquanto o Bitcoin são 7 por segundo.

Como vimos, o Ripple não tem mineração, ao contrário do que acontece com o Bitcoin. Isso porque as criptos XRP Ripple já foram emitidas e sua distribuição é gerenciada pela Ripple Labs.

Também vale a pena destacar as diferenças em relação à descentralização. O Bitcoin é um exemplo de criptomoeda descentralizada, ou seja, que não é controlada por nenhum banco ou outra entidade.

Já a XRP é uma cripto centralizada, ou seja, é controlada por uma empresa privada, a Ripple Labs, uma companhia de investimento com capital de risco que atua no desenvolvimento de soluções de pagamentos globais para instituições financeiras.

Blockchain

A principal diferença entre Ripple e outras criptomoedas está na sua blockchain, por isso é importante compreender a fundo o funcionamento desse sistema.

A blockchain da XRP é chamada de XRP Ledger Consensus Protocol (XRP LCP). Tanto a XRP LCP como a blockchain do Bitcoin trabalham para evitar o gasto duplo e impedir que agentes maliciosos possam modificar ou paralisar o sistema.

Porém, no caso da XRP LCP isso é feito usando nodes escolhidos, chamados de Unique Node List. Esses nodes votam para adicionar as transações à blockchain. Além desses nodes validadores, também existem os tracking nodes que ajudam na resiliência da rede, guardam a blockchain, dão acesso e transmitem informações na rede.

Emissão de tokens

No Bitcoin, os tokens são criados como recompensa aos mineradores, na XRP todas as moedas foram criadas no seu lançamento. São 100 bilhões de moedas criadas em 2013.

Para evitar que a Ripple Labs influenciasse nos preços da XRP, em 2016, foi criada uma escrow criptográfica que envia, mensalmente, 1 bilhão de XRP ao mercado.

O Bitcoin e Ripple possuem particularidades que devem ser observadas na hora de optar por investir em uma ou outra criptomoeda.

XRP Ripple vale a pena?

Como toda criptomoeda, investir em XRP Ripple depende muito do seu perfil de investidor e seu grau de tolerância ao risco. Isso porque há uma grande volatilidade nesse setor e com a XRP Ripple isso não é diferente, pois a cripto já chegou a ser cotada a R$15 a unidade e a pouco mais de R$0,01.

Atualmente, XRP está valendo R$5,34.

Apesar da alta volatilidade, que é natural das criptomoedas, a XRP conta com algumas vantagens interessantes, como:

·         agilidade nas transações;

·         segurança na validação;

·         baixas taxas por transação;

·         desobrigação de minerar;

·         sistema usado por diversas instituições financeiras.

Por essas características, a XRP Ripple costuma ser muito usada para fins especulativos e por traders que estão em busca de ganhos no curto e no médio prazo. Isso porque, a cripto costuma performar bem em ciclos de alta no Bitcoin e responder rapidamente quando são divulgadas notícias de parcerias e lançamentos de novos serviços.

Mesmo sendo volátil, a XRP é uma das moedas virtuais que mais se relacionam às instituições financeiras tradicionais, por isso têm ganhado tanta relevância.

Movimentos de alta

Existem vários motivos que podem levar a valorização da XRP. O primeiro são os anúncios de novas parcerias da Ripple, com bancos conhecidos e respeitados em todo o mundo.

O segundo é o próprio crescimento da empresa, que também ajuda na valorização da sua criptomoeda. Então, a XRP pode valorizar independentemente do crescimento do Bitcoin e de outras criptomoedas.

Riscos

Apesar das tendências de alta, um dos principais riscos da XRP é o processo aberto pela Comissão de Valores Mobiliários –  SEC –  dos Estados Unidos contra a Ripple.

Em dezembro de 2020, a comissão processou a Ripple e dois dos seus executivos alegando que eles estariam arrecadando, ilegalmente, mais de 1,3 bilhão de dólares na venda de XRP, um valor mobiliário não registrado.

A acusação alega que a Ripple arrecadou fundos por meio da venda das criptos XRP em uma oferta de valores mobiliários não registrada para investidores americanos e de todo o mundo.

A SEC ainda acusa Ripple de distribuir bilhões de XRP em troca de consideração não pecuniária, como mão de obra e serviços de formação de mercado.

Apesar do processo, contudo, as vendas da Ripple continuam subindo. No último balanço divulgado pela empresa, as vendas de XRP tiveram um aumento de quase 100% no primeiro trimestre de 2021.

Além de outros fatores, conhecer o seu tipo de perfil investidor é fundamental para avaliar se vale a pena, ou não, investir nesta criptomoeda

Como obter Ripples?

Depois de entender se XRP Ripple vale a pena, você está decidido a investir nessa criptomoeda? O primeiro passo é escolher uma exchange que negocie XRP, como é o caso da BitcoinTrade.

Avalie as características da exchange, há quanto tempo ela está no mercado, o nível de segurança que oferece, as taxas cobradas e demais características. Após selecionar a sua exchange, é preciso fazer um cadastro nela e transferir dinheiro para sua conta.

Selecione o volume de XRP Ripple que deseja comprar. O pagamento pode ser feito por meio de cartão de crédito, PayPal ou até usando outras criptomoedas, como Bitcoin.

Após fazer a compra, será preciso armazenar suas criptomoedas em uma carteira digital (wallet) que suporte essa cripto. Existem vários tipos de carteiras, desde as carteiras digitais que funcionam no seu smartphone, até as carteiras frias, que não funcionam conectadas à internet e, portanto, são mais seguras.

Na hora de escolher a carteira, além do grau de segurança, pense também nos usos que você dará às criptos e se ela é compatível com essa moeda.

BitcoinTrade

A BitcoinTrade é uma das exchanges que negociam XRP Ripple. Fundada em 2017, no Rio de Janeiro, a exchange é uma das mais seguras plataformas de moedas digitais da América Latina e já é uma das líderes do mercado nacional em volume negociado mensalmente.

Em termos de segurança, a BitcoinTrade também é inovadora, contando com armazenamento offline sem risco de perda de criptomoedas, certificado de autenticidade EV SSL e camada extra de segurança com 2 fatores de autenticação.

Já são mais de 2 bilhões de negociações realizadas, mais de 500 mil clientes cadastrados e 100% dos tickets dos clientes resolvidos.

Agora você já sabe o que é XRP Ripple? Se deseja contar com essa cripto na sua carteira, é só abrir uma conta na BitcoinTrade e começar a operar com a moeda!

Redator | BitcoinTrade

Breno tem mais de 12 anos de experiência com Marketing Digital. Já passou por grandes varejistas tradicionais e em 2017 se apaixonou pelas criptomoedas. Hoje é responsável pelas estratégias de comunicação e aquisição de novos clientes na BitcoinTrade.