Você sabe o que é ICO? Antes de mais nada, é importante esclarecer que ICO é a sigla para Initial Coin Offering, que significa Oferta Inicial de Moeda, se traduzirmos ao pé da letra para o português. Esse termo é cada vez mais utilizado no mundo das criptomoedas.

Na prática, o ICO é a maneira utilizada para financiar o desenvolvimento de novas criptomoedas ou novos projetos que estejam relacionado com o tema. O objetivo é bem claro: levantar recursos para que o projeto se torne realidade.

No mercado financeiro, muito se sabe sobre o IPO. Mas, por mais que sejam processos semelhantes, há diferenças também. Para entender melhor a respeito, preparamos este post com os principais pontos sobre o que é ICO. Confira!

Qual é a história do ICO?

Para explicar um pouco mais sobre a história do início do ICO, trazemos aqui o fato de que o primeiro deles aconteceu em 2013 com o lançamento de uma criptomoeda chamada Ripple. O projeto iniciou com o lançamento de 100 bilhões de tokens.

A ideia desse ICO era vender esses tokens para financiar o projeto. Isso foi feito por meio desse ICO e o valor arrecadado foi de cerca de 1 milhão de dólares. Recentemente, as criptomoedas já se tornaram um assunto relativamente popular na mídia e no mercado financeiro. Então, a procura por ICOs aumentou muito desde então.

Como funciona um ICO?

Agora que você já sabe o que é ICO e a sua história, vamos falar um pouco mais sobre como esse recurso funciona. Quando um ICO é lançado, os idealizadores do projeto oferecem aos futuros investidores algumas unidades dessa nova moeda. Em troca, é feito um pagamento em Bitcoin ou Etherem, por exemplo, duas moedas virtuais sólidas e que dão um bom aporte para sustentar o projeto financeiramente.

Na prática, podemos dizer que os investidores desse projeto recebem tokens conforme o valor que aportaram. Isso garante alguns benefícios dessa “aposta” financeira, correndo o risco de o projeto dar certo ou não. 

Dessa forma, quando o projeto finalizar e uma exchange listar a nova criptomoeda, o investidor poderá negociá-la caso desejar. É praticamente o mesmo que ocorre com o IPO. Abaixo, vamos falar das diferenças entre elas.

Quais as diferenças entre ICO e IPO?

Na introdução e agora pouco falamos da semelhança entre ICO e IPO (Oferta Pública de Ações). Agora, vamos finalizar este post mostrando mais as diferenças entre esses 2 recursos.

Oferta de ações x tokens

A principal diferença entre eles é que, no caso do IPO, são ofertadas ações empresariais, que representam uma fatia da sociedade da empresa. Já no caso do ICO, a oferta é de tokens, que são ativos da criptomoeda que vai ser lançada.

Regras do jogo

Outra diferença relevante é que não há regra nos ICOs que limitem a compra e venda de ativos, nem de prestação de contas em relação às informações da oferta. Tudo é baseado na liberdade para dar agilidade e dinamismo para esse mercado.

Já os IPOs contam com uma variedade de regras nesse sentido, limitando a compra e venda de ações, bem como o que precisa ser feito para isso acontecer.

Destino do recurso levantado

Por fim, a nossa última comparação é relacionada ao destino do recurso levantado. No IPO é preciso que a empresa explique para onde vai o dinheiro arrecadado, se vai ser em expansão, investimento em tecnologia, dentre outros pontos. Já no ICO isso não é necessário.

Deu para entender o que é ICO, não é mesmo? Então, não perca tempo, continue estudando mais o mundo das criptomoedas para saber ainda mais sobre esse mercado.

Gostou deste post? Então, compartilhe com os seus amigos das redes sociais!