A startup de negociação de ações, queridinha dos millennials, Robinhood, pagou uma multa de US$ 65 milhões para a SEC, o regulador dos EUA.

Com um app para celulares, site, e até conexão para Apple Watch, a empresa oferece negociação de ações, fundos listados e derivativos listados nas bolsas norte-americanas.

Lançado em 2015, o serviço ultrapassa os 13 milhões de clientes, e tem como principal atrativo a tarifa zero de negociação.

Qual o segredo da taxa zero?

Embora seja uma corretora regulada pela FINRA e registrada na SEC, a empresa tem como principal fonte de receita os grandes arbitradores. Isso porque pagam pela prioridade no envio de ordens.

Ou seja, empresas especializadas em ordens de alta-frequência conseguem decidir se desejam ser a contraparte das ordens dos demais clientes, antes que estas sejam enviadas às bolsas de valores.

Como isso prejudica os clientes?

Segundo cálculos da agência reguladora SEC, os clientes foram prejudicados em US$ 34,1 milhões após seu preço de execução ser pior do que o mercado naquele instante.

Em suma, mesmo com o desconto nas taxas de corretagem, no final os clientes saem perdendo. Justamente por não divulgar estas informações aos clientes, a Robinhood foi multada em US$ 65 milhões.

Corretagem baixa é perigoso?

Primeiramente, deve-se lembrar que a função principal de uma corretora, ou exchange no caso de criptoativos, é criar um ambiente de negócios com liquidez e segurança aos participantes.

Deste modo, existe um custo para manter a estrutura, não só da parte de tecnologia, como jurídico, fiscal, e até mesmo operacional. Ao negociar diretamente com o vendedor na modalidade p2p (peer to peer), é responsabilidade de cada envolvido verificar a origem dos recursos.

Ao optar pela negociação intermediada por uma exchange como a BitcoinTrade, você elimina o risco de que os recursos acabem confiscados pelo banco por conta de origem suspeita. Isso porque cabe a nós o trabalho de Conheça Seu Cliente (KYC).

Por que escolher a BitcoinTrade?

O cliente deve considerar o histórico de uptime, ou seja, tempo no ar dos sistemas, e nesse quesito, temos orgulho em ser líder de mercado. Desde o início da empresa entendemos a necessidade de um sistema totalmente proprietário, ou seja, construído por nossa equipe.

Outra prova desta decisão acertada é a ausência de qualquer registro de ataque, perda de valores, ou rollback, o cancelamento de negociações concretizadas. Nosso histórico com mais de três anos de funcionamento mostra que não existiram períodos de bloqueio de saques ou transferências. 

Além disso, se toda a sua movimentação for feita conosco, não há necessidade de você enviar mensalmente o relatório para a Receita Federal, conforme exigência da normativa 1.888 de 2019. Isso porque somos uma empresa regulada, e portanto realizamos o envio de forma automática.

Corretora estrangeira é arriscado?

Não é possível generalizar, e nem dispomos de recursos para averiguar o funcionamento das exchanges estrangeiras que oferecem negociação em Reais. 

No entanto, o cliente deve verificar se a mesma está devidamente registrada na junta comercial e dispõe de capital social compatível com o volume apresentado.

Outro fator que deve ser considerado é a transparência do nome dos diretores e sócios. O risco é aumentado quando os depósitos e saques são feitos em nome de terceiros, mesmo que empresas de intermediação de pagamentos.


Se você não pretende ser mais um dos clientes lesados, como no caso reportado da Robinhood, conte com a BitcoinTrade como parceira. Não economize em segurança e transparência!

Redator | BitcoinTrade

Breno tem mais de 12 anos de experiência com Marketing Digital. Já passou por grandes varejistas tradicionais e em 2017 se apaixonou pelas criptomoedas. Hoje é responsável pelas estratégias de comunicação e aquisição de novos clientes na BitcoinTrade.