Uma dúvida muito comum para quem está pensando em investir ou já investe há algum tempo é sobre quantos Bitcoins existem e se algum dia ele irá acabar. A quantidade de Bitcoins não para de aumentar a cada minuto e é difícil estimar a quantidade exata dessas criptomoedas.

Porém, compreender melhor quantos Bitcoins existem, como essa quantia é estimada e a forma como essa moeda é emitida é fundamental para quem deseja se aprofundar no mercado e investir nos criptoativos.

Quer entender melhor sobre o assunto? Continue a leitura!

Quantos Bitcoins existem atualmente?

O número de Bitcoins existentes já ultrapassou os 17 milhões. Como dissemos, esses números aumentam a cada 10 minutos, quando novos blocos são minerados, colocando em circulação 12.5 novos Bitcoins. A quantidade máxima de Bitcoins que pode existir é 21 milhões. 

A mineração consiste em um processo de computação e criptografia que valida os dados das operações na Blockchain. Como esse é um procedimento complexo, cada minerador é recompensado com uma quantidade de Bitcoins e são eles que nos ajudam a responder quantos Bitcoins existem.

Limite máximo

Assim como o ouro, os Bitcoins não são tão passíveis de sofrer com a inflação.

Quando o Bitcoin foi criado, o seu idealizador estipulou um número máximo de Bitcoins: 21 milhões. Em média são minerados em torno de 144 blocos por dia, sendo que cada bloco conta com 12.5 Bitcoins. Então, são minerados 1800 Bitcoins diariamente.

Logo no início do surgimento da moeda, em 2012, cada bloco contava com 50 Bitcoins. Esse número vem sendo reduzido pela metade a cada 4 anos em um processo chamado de halving e o esperado é que o próximo halving ocorra em 20 de maio de 2020, quando os mineradores deverão receber apenas 6.25 BTC.

Isso significa que o número de surgimento de novos Bitcoins será mais lento. A estimativa matemática é que o último Bitcoin seja minerado em 2140. O número máximo de Bitcoins não foi estipulado arbitrariamente. Ele está relacionado às limitações do algoritmo da moeda que consegue elaborar suas operações apenas até o máximo de 21 milhões.

Estipular um limite máximo é importante para controlar a inflação, afinal já se sabe o máximo de moeda que poderá estar em circulação. Isso evita que se aconteça o que ocorreu com moedas de muitos países, inclusive o real. Há alguns anos, os governos costumavam financiar seus débitos emitindo moedas, o que, por sua vez gerava uma forte inflação, já que havia mais moedas em circulação do que bens reais.

Existe a chance de o Bitcoin acabar?

Quando comparamos quantos Bitcoins existem com a quantidade de outras moedas, como o próprio Real ou o Dólar, tendemos a achar que 21 milhões é muito pouco, colocando em risco a existência do Bitcoin.

Porém, é necessário considerarmos o fracionamento dos Bitcoins, que acontece de forma diferente das moedas tradicionais.

A maioria das moedas nacionais é divisível por 100 (o centavo é a menor fração do Real, por exemplo). Contudo, cada Bitcoin pode ser dividido por 100 milhões, ou até 8 casas decimais. O Satoshi é a menor fração do Bitcoin e equivale a 0.0000001 BTC.

Dessa forma, os 21 milhões máximos podem ser divididos por muitas pessoas, sendo possível comprar várias pequenas frações de Bitcoins. Por isso, além da questão sobre quantos Bitcoins existem, precisamos levar em conta essas possibilidades de fracionamento da moeda.

Qual a relação desses dados com o investimento em Bitcoin?

Esses dados sobre quantos Bitcoins existem podem te ajudar a perceber que estamos em um ótimo momento para começar a investir.

Apesar de ainda existir uma reserva considerável de Bitcoins, isso não significa que você deverá esperar mais tempo para começar a investir na criptomoeda. Desde o seu lançamento, em 2009, o Bitcoin teve uma valorização expressiva passando de apenas 5 dólares para mais de 200 em 4 anos. Embora essa valorização tão rápida não aconteça mais, a cotação do Bitcoin se mantém em alta e quase sempre crescente.

É claro que isso não significa que investir em Bitcoin é uma má ideia. Pelo contrário, ainda é possível ter ganhos consideráveis, sendo muito importante comprar a moeda quando a cotação estiver abaixo da máxima histórica.

Mas quanto mais tempo você esperar para investir em Bitcoins, menor poderá ser a valorização. Assim, ao invés de aguardar mais tempo, que tal começar agora. Para ter sucesso, entretanto, é indispensável entender muito bem esse mercado, avaliar que este é considerado um investimento de risco e procurar uma boa exchange para te auxiliar nesse processo.

O que acontece quando o Bitcoin acabar?

Apesar de ser um futuro distante, ao entender quantos Bitcoins existem, muitas pessoas passam a se questionar sobre como será quando os 21 milhões de Bitcoins se esgotarem.

Antes de especularmos o futuro é importante lembrarmos que o criador do Bitcoin, Satoshi Nakamoto, conta com uma reserva pessoal de cerca de 1 milhão de BTC, que podem ser lançados no mercado caso seja necessário.

De qualquer forma, dois cenários serão possíveis:

Apesar do que se diz, os Bitcoins não irão sumir quando a mineração deles acabar.

No primeiro, mais pessimista, os mineradores poderão desistir da mineração, que se tornará inviável devido ao halving que explicamos. Isso levaria a um processo de centralização, com possíveis efeitos negativos à rede Bitcoin.

Em outro cenário mais otimista, os custos relacionados a mineração se tornarão muito menores, graças a evolução da tecnologia, fazendo com que mais pessoas se interessem pelo processo, ainda que ele ofereça menos Bitcoins como recompensa.

Quando os Bitcoins acabarem, acredita-se que a tecnologia estará tão evoluída que não será mais necessário o trabalho dos mineradores na validação das transações. De qualquer forma, com a redução da moeda no mercado, a tendência será de um aumento do seu valor.

Lembrando que o fato de 100% da moeda ser minerada não significará o seu fim, já que ela continuará em circulação e a expectativa é que seja cada vez mais aceita nos mercados.

Conclusão

Como você viu, entender quantos Bitcoins existem é algo muito importante para compreendermos o possível futuro dessa criptomoeda e também avaliarmos as expectativas de ganho para os investidores.

Além desses Bitcoins minerados, ainda existem outros que não entraram na conta, como a reserva pessoal do criador (que citamos no tópico anterior), entre 3 a 4 milhões de Bitcoins que foram perdidos e algo em torno de 850 mil Bitcoins que foram roubados no hack do Mt. Gox, o maior hack de Bitcoins de todos os tempos.

Em 2016, também houve um roubo de 120 mil BTC da Bitfinex. Somados, os Bitcoins roubados chegam a 960 mil. Porém, roubado não significa perdido e é provável que essas moedas ainda estejam em circulação.

Agora ficou mais fácil entender quantos Bitcoins existem?  Se, depois de ler este conteúdo, você está pensando em investir na criptomoeda, que tal conhecer a BitcoinTrade? Acesse o nosso site e saiba mais sobre nossas soluções e segurança para os investimentos!

Conheça a BitcoinTrade