Desde que foi criado, o Bitcoin se transformou em um dos ativos preferidos para quem acompanha o desenvolvimento tecnológico da blockchain e cansou dos investimentos tradicionais do mercado financeiro.

Além da compra e vendas de Bitcoins, que leva em consideração sua desvalorização e valorização no tempo, é possível lucrar com essa criptomoeda de outras maneiras. Uma delas é fazendo a arbitragem, prática que também é comum no mercado de ações e commodities.

Neste artigo, você entenderá como funciona a arbitragem de Bitcoin, por que ela consegue ser mais lucrativa que a forma tradicional de investir na criptomoeda e como é feita uma arbitragem automatizada. Acompanhe!

O que é a arbitragem de Bitcoin?

Em termos simples, quando um investidor decide trabalhar com a arbitragem ele começa a comprar ativos por preços baixos e vendê-los em corretoras que pagam um preço maior. A diferença, então, fica com o investidor.

No caso dos Bitcoins, os procedimentos de arbitragem de criptomoedas também acontecem dessa forma. Dependendo da exchange, também conhecida como corretora ou casa de câmbio, o valor das moedas virtuais varia. Por isso, é possível trabalhar para transformar essa diferença em lucro.

Se um investidor percebe que um 1 BTC custa R$ 28.500,00 na corretora A e R$ 29.500,00 na corretora B, há chance de ele conseguir um bom lucro ao comprar ativos de uma e vender para a outra.

É necessário, no entanto, ficar atento às taxas cobradas pelas exchanges, pois isso pode afetar os resultados obtidos. Além disso, ao fazer essas operações manualmente, é importante conhecer bem o mercado, já que a variação nos valores da criptomoeda pode ser rápida e até se inverter, causando prejuízos.

Ademais, os riscos da arbitragem manual de Bitcoin podem ser altos e, ainda, demanda tempo — o que nem todo mundo dispõe. Destaca-se que esse tempo necessário se refere não apenas ao acompanhamento das cotações das criptomoedas nas corretoras, como também para a realização da transação do início ao fim.

Ao encontrar uma boa oportunidade de lucro — geralmente, a recomendação é com mais de 1% — o investidor deve ter valores em Reais na corretora onde vai comprar os Bitcoins, comprar o criptomoeda, sacar para a outra exchange e então vender os ativos. Esse processo exige bastante atenção. Como a execução completa pode demorar, o risco ao começar uma arbitragem manual pode ser alto.

A arbitragem de Bitcoin vale a pena?

Mesmo que o Bitcoin esteja se popularizando como forma de pagamento em cafeterias, mercados e todo tipo de comércio, a principal forma de utilizar a criptomoeda é como um investimento de renda variável, semelhante ao dólar e ao ouro.

Os investidores estudam o mercado, observam as tendências para onde apontam as curvas de cotação e tomam decisões. Está na hora de comprar ou vender as moedas?

A diferença desse modelo de investimento tradicional e a arbitragem de Bitcoin, no entanto, está relacionada ao tamanho dos lucros.

A arbitragem da criptomoeda oferece mais lucros do que os investimentos tradicionais em Bitcoin. Isso acontece porque, ao fazer arbitragens, você considera a variação do Bitcoin entre diferentes corretoras e sua variação no tempo. No caso da forma tradicional, os investidores fazem a compra e a venda dentro da mesma exchange, contando apenas com o fator tempo.

Além disso, a arbitragem de criptomoedas traz mais opções para a rotina do investidor. Durante todo o dia, ele pode se dedicar a fazer transações de valores entre as exchanges, com o objetivo de lucrar com a diferença de cotações.

Por outro lado, quem investe apenas em uma corretora e não faz a arbitragem tem menos oportunidades de lucrar com os Bitcoins.

Como fazer a arbitragem internacional de Bitcoin?

Além de acompanhar a variação de preço do Bitcoin entre as corretoras brasileiras, você também pode comparar o preço do Bitcoin em exchanges internacionais. Neste caso, os lucros acontecem com a compra de Bitcoins em um país e a venda em outro, e a diferença de valor entre as moedas fiduciárias.

A arbitragem internacional acontece da seguinte forma: se no Brasil o Bitcoin está mais caro do que nos Estados Unidos, é possível lucrar com esta variação. Para isso, você pode fazer um depósito em dólares na corretora estrangeira e comprar Bitcoins. Em seguida, você transfere os Bitcoins da corretora estrangeira para a corretora brasileira. Ao vendê-los e sacar seu dinheiro em Reais, você terá lucro.

Para fazer a arbitragem internacional de Bitcoin é importante levar em conta o preço do Dólar, a cotação do Bitcoin em diferentes exchanges nacionais e internacionais e as taxas envolvidas.

Como funciona a arbitragem automatizada de Bitcoin?

Como a arbitragem manual demanda um conhecimento mais profundo do mercado e bastante tempo, os serviços automatizados estão se popularizando.

As plataformas de arbitragem automatizada levam as transações para outro patamar de facilidade. Por meio de algoritmos, elas avaliam onde é vantajoso investir e fazem a compra e a venda automaticamente. Para isso, basta realizar o depósito dos Bitcoins na conta da plataforma e os robôs trabalham por você.

O uso da arbitragem automatizada garante bons rendimentos e, apesar de existir uma cobrança sobre parte dos seus lucros, é um investimento com um retorno. Afinal, eles consideram as taxas das corretoras, fazem as melhores escolhas de investimentos e funcionam 24 horas por dia. Diferentemente de uma pessoa, um robô não precisa dormir!

Mesmo que a arbitragem manual seja mais trabalhosa, também existem plataformas gratuitas, como o Cointrader Monitor, que reúnem gratuitamente a cotação do Bitcoin nas principais corretoras do Brasil. Estes sites facilitam a vida de quem prefere fazer as transações da arbitragem de Bitcoin por conta própria.

Assim, ainda que seja necessário acessar a conta de cada exchange manualmente, é possível acompanhar o panorama dos valores da criptomoeda para realizar a própria arbitragem.

Por que é importante contar com uma corretora especializada?

Uma das principais vantagens de utilizar uma corretora está nas opções de criptomoedas oferecidas além do Bitcoin. No caso da BitcoinTrade, por exemplo, é possível investir e fazer arbitragem com Ethereum, Litecoin e outras criptomoedas.

Além disso, ela é a única corretora brasileira que aceita cartões de crédito nas operações de compra de Bitcoins. Isso só acontece porque a BitcoinTrade tem a certificação PCI DSS Compliance, que valida a segurança de operações feitas com os cartões dos clientes, como validade e código de segurança.

Outras vantagens das corretoras especializadas em criptomoedas são a facilidade de compra e venda, a oferta de serviços educativos e de consultoria e a segurança das transações.

Em relação ao último ponto, é fundamental verificar a segurança do procedimento. É possível comprar Bitcoins diretamente de outro investidor, mas é necessário ter muito cuidado! Por isso, o ideal é utilizar as plataformas das exchanges.

Com as explicações apresentadas ao longo deste artigo, entender como funciona a arbitragem de Bitcoin se torna mais simples. Assim como no mercado financeiro, esses processos são estratégias inteligentes e simples capazes de fazer um investidor lucrar com a diferença nos valores dos ativos.

Além disso, você também descobriu por que essas táticas são mais lucrativas, as vantagens das arbitragens automatizadas e o porquê de investir com o auxílio de uma corretora especializada em criptomoedas. Portanto, a partir de agora, você já está pronto para começar a lucrar com os Bitcoins!

Gostou das nossas dicas e quer investir em Bitcoin? O que acha de conhecer a plataforma da BitcoinTrade? Estamos prontos para ajudá-lo!

Redator | BitcoinTrade

Breno tem mais de 12 anos de experiência com Marketing Digital. Já passou por grandes varejistas tradicionais e em 2017 se apaixonou pelas criptomoedas. Hoje é responsável pelas estratégias de comunicação e aquisição de novos clientes na BitcoinTrade.