O surgimento do Bitcoin trouxe ao mundo uma nova forma de realizar transações financeiras e nos deu um vislumbre de como o sistema monetário futuro se comportará. Mas, para além da cripto queridinha dos usuários digitais, há diversas outras que têm se destacado no mercado. Você conhece todos os nomes de criptomoedas

Desde que Satoshi Nakamoto lançou o seu sistema que daria origem à rede Bitcoin em 2009, a sociedade foi mudando seus hábitos financeiros – o papel-moeda deu lugar ao cartão, que então passou a dar lugar para transações descentralizadas não atreladas a nenhuma entidade controladora.

A lista de criptomoedas cresce na medida em que o universo cripto atinge cada vez mais usuários. Para se ter uma ideia da magnitude, pense que atualmente existem mais de 15 mil projetos de cripto disponibilizados nas blockchains! Portanto, é essencial se manter atualizado dos principais assuntos e acontecimentos desse universo antes de investir.

Confira a lista a seguir e saiba quais são as criptomoedas mais conhecidas do mercado  e suas principais características.

Bitcoin

Atualmente, é difícil encontrar alguém que não tenha ao menos ouvido falar desta moeda. Precursora das criptos, o Bitcoin é hoje a mais renomada e bem aceita ao redor do mundo. A moeda digital criada por Satoshi Nakamoto supera de longe a concorrência nos quesitos valor, número de usuários, aceitação, liquidez e segurança. 

O Bitcoin hoje apresenta um valor de mercado superior ao valor somado das nove principais criptomoedas que o sucedem no ranking das top 10. Se por um lado a sua consolidação no mercado garante segurança, liquidez e confiabilidade, por outro, seu valor vem batendo altas consecutivas, e pode não ser a melhor opção para o investidor adquirir moedas na alta.

Ethereum

Considerado a segunda maior criptomoeda em vigência no mercado, o Ethereum foi lançado em 2015, com algumas inovações tecnológicas desconhecidas de seus concorrentes até então. Sua grande novidade é o fato de permitir a criação de aplicativos descentralizados pelos desenvolvedores. 

Além disso, a tecnologia Blockchain, também utilizada pelo Bitcoin, pode ser usada para todas as informações que possam ser armazenadas digitalmente: contratos, registros e votações, por exemplo. Dessa forma, o Ethereum representou um passo a mais para o desenvolvimento das criptomoedas, indo além das transferências financeiras para tomar parte também em outras atividades. 

Litecoin

O Litecoin está entre as principais criptos do mercado, figurando atualmente como o quarto maior market cap. Surgiu logo após a criação do Bitcoin, com o objetivo de possibilitar transações mais rápidas por meio de um novo algoritmo de mineração – que futuramente deu origem ao lançamento de novas moedas. 

Entre os diferenciais do Litecoin estão suas taxas menores em relação ao Bitcoin, além de transações mais rápidas. Enquanto o Bitcoin processa 1 bloco a cada dez minutos, o Litecoin processa cada bloco em dois minutos e meio.

Ripple

Representante do ranking das top 10 criptomoedas com maior valor de mercado, a Ripple surgiu para aumentar ainda mais a velocidade das transações realizadas globalmente, reduzindo os seus custos e garantindo maior liquidez aos investidores. 

Capaz de suportar até mil transações por segundo, cada transação de Ripple exige uma quantidade de 0,00001 XRP para ser realizada (cada XRP vale em torno de R$ 7). Após a transação, o XRP é gasto e não pode mais ser utilizado. Uma curiosidade polêmica sobre a Ripple é a de que mineradores não são necessários, já que a moeda passa por uma pré-mineração por parte dos organizadores. 

Theter

Conhecida no meio investidor como “moeda estável” (stablecoin), seu diferencial está no fato de possuir lastro com uma moeda física – no caso, o dólar. Isso significa que, teoricamente, para cada Theter emitido, haverá um dólar equivalente em caixa. No entanto, vale ressaltar que não são todos os tokens dessa categoria que possuem paridade com o dólar.

O Theter tornou-se uma boa opção para investidores que querem evitar a alta volatilidade de outras criptomoedas, sendo que sua cotação é muito mais estável que as do Bitcoin e do Ethereum, por exemplo. 

Bitcoin Cash

Nascida de uma ruptura da sua precursora mais famosa, a cripto Bitcoin Cash permite a realização de transações de blocos maiores, o que significa tornar os procedimentos mais rápidos e baratos. 

Por ser uma rede maior, a Bitcoin Cash permite ao usuário lidar com um número maior de transações por segundos, além de um tempo de resposta mais curto e taxas de processamento menores. Na prática, uma transação Bitcoin custa cerca de US$ 2,07, enquanto a de Bitcoin Cash equivale a US$ 0,5.

Bitcoin SV

O Bitcoin SV surgiu em 2018, a partir de uma cisão do Bitcoin Cash. Seu objetivo é restaurar características originais do Bitcoin que foram perdidas com o surgimento do Bitcoin Cash. 

SV vem de “Satoshi Vision” (visão do Satoshi), em referência à recuperação das características originais apresentadas pelo criador do Bitcoin. 

EOS

Lançada em 2018 por Brendan Blumes e Dan Larimer, a EOS, assim como a Ethereum, também foi criada com o objetivo de ser um sistema para o desenvolvimento de aplicativos descentralizados. Assim, pode ser considerada uma versão aprimorada da Blockchain Ethereum por permitir que transações sejam feitas de forma mais rápida. 

Apesar da curta idade, a EOS já figura no top 10 da lista de nomes de criptomoedas mais conhecidas e comercializadas pelo mercado. Sua criação recente permitiu aos desenvolvedores aprimorarem mecanismos para agilizar o processo de mineração.

DAI

A DAI é uma stablecoin, ou seja, uma criptomoeda com valor estável. Seu sistema foi criado para que a cripto tivesse seu valor equiparado a 1 dólar. Lançada em 2017, a criptomoeda DAI possui a vantagem de ser uma moeda descentralizada, mas pareada com o dólar americano. 

Ela tem como base os contratos inteligentes na plataforma Ethereum para garantir mais estabilidade.

Cardano

Criado em 2015, o Cardano surgiu com o objetivo ambicioso de ser a terceira geração de criptomoedas, por meio da união das melhores funcionalidades de todas as moedas existentes até então. Uma de suas características mais interessantes é o fato de servir como forma de pagamento alternativo em países instáveis que possuem dificuldade de acesso a bancos.

A cripto Cardano é conhecida por ser uma versão japonesa do famoso Ethereum, já que 90% dos seus investidores são originários do Japão e outros países asiáticos, Por meio de uma Blockchain segmentada em duas camadas – liquidez e operacional –, a ADA trabalha de forma separada os seus contratos e tokens. 

Polkadot

Considerada uma febre no mercado asiático, a Polkadot, ou Dot Coin, é uma das últimas novidades do mercado cripto nacional. Considerado o protocolo Blockchain da próxima geração, a cripto conta com várias vantagens bem interessantes.

Lançado em 2016, o Polkadot é um protocolo de código aberto considerado pelos próprios criadores como uma evolução na tecnologia Blockchain. Essa rede descentralizada pode conectar diferentes criptomoedas, trazendo mais escalabilidade para a Blockchain e a Web 3.0.

USD Coin

Criada em 2018 pelas empresas Circle e Coinbase, a USD Coin é atualmente uma das stablecoins mais conhecidas do mercado, sendo a segunda mais negociada mundialmente. São mais de 27,8 bilhões de dólares de capitalização a nível global, o que faz desta a 10ª maior moeda do mercado.

A USD Coin (USDC) é uma criptomoeda conhecida como stablecoin (criptomoeda estável), o que significa que seu valor é vinculado ao dólar americano de 1 para 1, ou seja, 1 dólar para 1 USDC. 

Kusama

A Kusama (KSM) é uma criptomoeda experimental conhecida como “prima” da Polkadot, e foi criada em 2019. Denominada de rede “canário”, foi desenvolvida para implementar testes e funcionalidades de aperfeiçoamento para a sua originária mais famosa. 

Embora muito parecida com a Polkadot, a Kusama funciona de forma independente e com um intuito distinto. A cripto possui menos barreiras econômicas e técnicas à entrada, sendo mais adequada para projetos de pequeno e médio porte com perfis de risco.

Uniswap

A Uniswap (UNI) é um token DeFi, criado pela Uniswap Protocol, uma das exchanges descentralizadas mais famosas do mundo. Criada em 2017 pelo engenheiro Hayden Adams, foi projetada para servir como base governamental da plataforma que leva o mesmo nome.

Apesar da plataforma já estabelecida no mercado, o token de Uniswap só foi lançado em 2020, com mais de 1 bilhão de moedas disponibilizadas à comunidade do protocolo. Atualmente, a corretora vem passando por uma série de sanções para melhorar sua política interna de segurança e transparência.

1inch

A cripto 1inch é um projeto agregador de protocolos descentralizados (DEX) que, por meio de smart contracts via rede Ethereum, oferece trocas mais eficientes e com menores taxas de transação, além de desenvolver criptos por meio de fontes seguras de liquidez.

A 1INCH utiliza três critérios para definir a melhor rota de um trade: preço, liquidez e slippage – uma forma de derrapagem para garantir a média entre o valor de entrada e o valor real. Com um valor entre 0.05 e 1%, o token tem uma das melhores volatilidades do mercado.

Ripio Coin

A Ripio Coin (RPC) é um community token ERC-20 com base na rede Ethereum. Criado pelo Grupo Ripio, empresa responsável pelas plataformas Ripio e BitcoinTrade no Brasil, o token tem como objetivo principal otimizar as funcionalidades do app da Ripio a seus usuários.

Entre as vantagens constam descontos exclusivos para a compra e venda de criptos, além de um ecossistema inovador. A Ripio é uma das empresas líderes em criptomoedas da América Latina e hoje possui mais de 2 milhões de usuários.

Celo

Outro ecossistema bastante conhecido do mercado cripto é o comandado pela Celo, token que tem como objetivo promover a inclusão financeira e aumentar a adoção de criptomoedas e criptoativos entre usuários de smartphones. 

Seu principal caso de uso são os meios de pagamentos, principalmente em países subdesenvolvidos, onde a adoção de serviços bancários é precária. O projeto faz parte do programa “DeFi for the People” ou “DeFi para o Povo”, criado para educar e popularizar as aplicações de finanças descentralizadas em países emergentes.

Spell 

O SPELL é um token de governança do abracadabra.money, um protocolo DeFi de empréstimos, que possibilita o ganho de juros ao depositar garantias em forma de criptoativos. 

Atualmente, sua principal função é promover staking, o que significa bloquear tokens por meio de benefícios aos usuários. Dessa forma, os mineradores e compradores de cripto podem receber juros passivos conforme a porcentagem dos trading fees de diferentes plataformas.

dYdX

Criado para “rivalizar” com a Uniswap, o protocolo de DYDX é o token nativo da empresa de mesmo nome, uma exchange descentralizada (DEX) que permite operações que normalmente só estão disponíveis em exchanges tradicionais. 

O token DYDX é utilizado como token de governança para incentivar o uso do protocolo e gerar recompensas para staking, além de descontos nas comissões das operações. É considerada hoje uma das criptos de melhor valorização.

The Graph

O projeto The Graph criou o token nativo GRT, que permite a indexação de dados da internet para serem utilizados em projetos criptos. Ou seja, para além de um simples token, ele permite a criação de smart contracts em plataformas da Web3.

O The Graph trabalha com três partes fundamentais: indexadores (indexers), delegados (delegators) e curadores (curators). Dessa forma, o token GRT assina recursos para a rede e serve como pagamento por seu trabalho.

Descubra outras informações importantes para começar a investir

Conhecer o nome dos mais de 15 mil cripto ativos existentes é uma tarefa bastante desafiadora. No entanto, conhecer o nome de uma criptomoeda ideal às suas necessidades e aprofundar as pesquisas sobre suas características principais e seu funcionamento pode ser o suficiente para se inserir neste mundo digital, que promete revolucionar o sistema de pagamentos global. 

Por fim, vale ressaltar que criptomoedas são voláteis e um investimento de alto risco. Além de conhecer os nomes de criptomoedas mais comercializados, é essencial que você tome cuidado com promessas de ganhos fáceis e rápidos. Ou seja: estude o mercado para tomar decisões conscientes e fique sempre atento às novidades do universo cripto. Você pode ficar por dentro disso e de muito mais assistindo ao nosso canal no youtube e acompanhar as lives diárias! 

E o mais importante: não invista caso não esteja preparado para assumir os riscos! Aproveite para conferir outros artigos aqui na BitcoinTrade para se manter informado e saiba como comprar Bitcoin de forma segura.