O mercado de derivativos é um dos mais importantes dentro dos vários tipos de investimentos possíveis. Negociado na bolsa de valores, esse tipo de investimento tem seu rendimento derivado de outros ativos – e ajuda a proteger o patrimônio de empresas e pessoas.

São muitas as opções de derivativos, inclusive os criptoativos. Mas, para investir bem, é preciso informação. Por isso, montamos este conteúdo completo com tudo o que você precisa saber para investir no mercado de derivativos.

O que é mercado de derivativos?

Derivativos são contratos que derivam do preço, do índice ou da taxa de outros ativos. Esses contratos podem ser físicos, por exemplo, envolvendo café, ouro ou soja, ou financeiros, como as ações e o dólar.

Como sabemos, os mercados apresentam oscilações de preços e o risco é representado por volatilidade e incertezas. Uma maneira de suprimir esses riscos é celebrando contratos, no presente, com compromissos futuros – determinando preços que sejam interessantes para ambos os envolvidos (comprador e vendedor).

Então, em uma operação com derivativos, uma pessoa escolhe vender o risco que nota no negócio, enquanto a outra parte acredita que poderá lucrar assumindo esse risco.

Ao longo do tempo, os preços dos ativos poderão aumentar ou diminuir, assim os derivativos funcionam como um instrumento de proteção (hedge). 

O Hedge visa garantir a segurança do investidor, por isso, ele pode abrir mão de um eventual ganho futuro. A garantia é que ele não sofrerá prejuízos maiores com as oscilações de preços.

E, se há um lado que deseja se proteger, há outro que deseja ganhar com a especulação.

Assim, uma empresa, por exemplo, que deseja se proteger da variação cambial poderá celebrar contratos futuros (derivativos) do dólar, protegendo seu negócio voltado à importações ou exportações.

O mesmo pode ocorrer com um produtor que, por meio dos derivativos, consegue garantir um determinado preço para a sua produção quando for vendê-la, reduzindo as chances de perdas.

Entender como funciona o mercado de derivativos e quais opções ele oferece é essencial para uma boa administração dos seus investimentos.

Quais são os tipos de derivativos?

Existem 4 tipos mais comuns de derivativos: mercado a termo, mercado futuro, opções e swaps.

1) Mercado a termo

As operações são feitas a prazo. Ambas as partes assumem o compromisso de comprar e vender determinada quantidade do ativo financeiro ou da mercadoria, com o preço fixado na data de realização do negócio, embora a negociação aconteça em data futura.

A liquidação integral ocorre apenas quando o contrato vencer.

Assim, tanto comprador como vendedor têm o compromisso de comprar ou vender determinado ativo, dentro do prazo estipulado, pelo preço estabelecido. Além do preço, são determinados o ativo, a quantidade e a data de vencimento para a liquidação da operação.

O compromisso de compra e venda não pode ser transferido e os contratos são customizados, de acordo com a demanda de comprador e vendedor e não há desembolso na celebração, somente na liquidação. Os contratos são negociados na Bolsa de Valores ou no Mercado de Balcão.

2) Mercado futuro

É aquele em que se negocia a compra e venda de ativos no futuro. Ou seja, há o compromisso de compra e venda com parâmetros pré-estabelecidos, de forma semelhante ao mercado a termo.

A diferença é que no mercado futuro existe a possibilidade de transferir o contrato a terceiros e as negociações acontecem apenas na Bolsa de Valores.

Os preços dos contratos são ajustados diariamente, assim como as posições, o que auxilia no controle de riscos da operação.

Esse tipo de investimento tem uma especificidade que é a disposição de uma quantia de margem (que pode ser em ativos ou em dinheiro). Ela é uma espécie de garantia de pagamento, no caso de variações negativas do mercado.

3) Opções

Ao investir em opções, você terá um contrato de direito para comprar ou vender um ativo por determinado preço pré-estabelecido em uma data futura, previamente combinada.

Quando você compra uma opção, tem garantido o seu direito de exercício, ou seja, poderá realizar a compra no prazo determinado, pelo valor ajustado, mas não tem a obrigatoriedade de fazer isso se não quiser.

O contrato de opção engloba: o objeto da opção, o valor da compra do direito, o prazo para exercer o direito e o valor para liquidar a operação na data futura.

Basicamente existem dois tipos de opções:

4) Swaps

O acordo é feito em relação à troca de riscos entre as partes. Assim, estabelece-se um acordo no qual a credora e a devedora estabelecem uma regra de mudarem o risco no futuro, de acordo com critérios pré-determinados. Geralmente, envolvem taxas de juros, moedas e commodities.

Nesse caso, o investidor se compromete a pagar uma taxa ou o valor do ativo que oscilou. Vamos supor que você faça uma swap cambial reverso, ou seja, troque CDI (em real) pela variação cambial (em dólar). Você terá um ganho ligado à taxa do cupom cambial. É uma maneira de se proteger das variações na taxa de juros esperada e realizada.

Da mesma maneira do mercado a termo, a liquidação total ocorre no vencimento da operação e o compromisso não pode ser transferido.

Quais as vantagens e desvantagens do mercado de derivativos?

Há quem ame e quem odeie investir no mercado de derivativos. Para entender se essa é uma boa opção para o seu perfil, o importante é conferir as vantagens e desvantagens que ele oferece.

Vantagens

Desvantagens

Já deu para notar que o mercado de derivativos possui vários riscos, não é? Por isso, a principal desvantagem é a possibilidade de ter altos prejuízos. Assim, antes de começar a operar, é preciso entender muito bem o funcionamento dos derivativos, a volatilidade do mercado e os prazos dos contratos.

Existem alguns passos específicos para investir no mercado de derivativos. Acompanhe abaixo o passo-a-passo para não se perder nesse processo.

Como investir?

Você poderá investir no mercado de derivativos pelo home broker (plataforma de investimentos). Para começar, é preciso ter uma conta de investimentos em uma corretora. Depois, você terá de transferir o valor desejado da sua conta bancária para a conta de investimento e com o saldo poderá dar sequência à aplicação.

Na sequência, basta acessar o seu home broker, conferir os ativos que estão de acordo com o seu perfil de investidor e expectativa de realidade e disparar a ordem, acompanhando pela plataforma o andamento do seu investimento.

Mercado de derivativos de criptoativos: como funciona?

Atualmente, existe a possibilidade de negociar contratos futuros e opções vinculados ao preço do Bitcoin. Basicamente, você negociará um acordo para comprar ou vender as criptos por um preço fixo em uma data posterior.

Isso permite que os traders se protejam contra a volatilidade e as oscilações de preço entre a compra e a venda do contrato e o momento da sua entrega.

Os contratos futuros de Bitcoin são negociados na CME e na BitMEX. Também há possibilidade de negociar no mercado de opções.

Basicamente o funcionamento é o seguinte: uma empresa oferece a operação de capital protegido com o cliente investindo em reais e comprando o mínimo de 1 BTC. Ele terá esse valor protegido até o vencimento da operação. Vamos supor que a cotação inicial hoje seja de R$23.900. Se no dia do vencimento, o BTC estiver cotado a R$ 20 mil, por exemplo, o cliente recebe os R$23.900 de volta.

Em contrapartida, o cliente abre mão de parte do movimento de alta. Então, por exemplo, o cliente recebe 70% da alta até o limite de 20%, ou seja, o ganho máximo é de 14% em reais.

Assim, você já entra na operação sabendo quanto poderá ganhar e reduzindo os riscos para investir em Bitcoin.

A forma de calcular o preço dos futuros de Bitcoin depende do emissor do instrumento. Em alguns casos, como as corretoras de criptomoedas, os preços se baseiam em índices agregados, representando a demanda por cada criptomoeda de várias corretoras.

No caso da CME, o valor se baseia na Taxa de Referência de Bitcoin (BRR, em inglês) que funciona como uma taxa de referência diária do preço do instrumento em dólares americanos. O índice agrega o fluxo de operações das corretoras de mercado à vista durante um intervalo de uma hora ao preço de um BTC em dólar a partir das 16h de Londres.

Embora essa seja uma operação ainda pouco conhecida no Brasil, é uma tentativa de trazer para o universo das criptomoedas os investidores mais conservadores e os investidores institucionais.

O uso dos derivativos abre uma série de possibilidades e estratégias variadas para os investidores tanto de criptomoedas como de renda fixa, ações e fundos de investimento, pois, com essas operações, é possível aumentar os lucros ou reduzir as perdas, o que, até então, não era possível com o trade de Bitcoin.

Gostou de conhecer mais sobre mercado de derivativos? Já pensou em operar derivativos de Bitcoin? Se você curtiu este conteúdo, assine nossa newsletter e receba as novidades do nosso blog direto no seu e-mail!

Redator | BitcoinTrade

Breno tem mais de 12 anos de experiência com Marketing Digital. Já passou por grandes varejistas tradicionais e em 2017 se apaixonou pelas criptomoedas. Hoje é responsável pelas estratégias de comunicação e aquisição de novos clientes na BitcoinTrade.