O inverno das criptos parece estar chegando, com notícias negativas vindo da China, impactando tanto a mineração, a negociação de contratos derivativos, e até mesmo transações na modalidade p2p, fora de exchanges. Nos EUA, tanto os novos funcionários do Tesouro, quanto a FinCEN, afirmaram que regular as exchanges é prioridade no país.

Bitcoin vira moeda oficial de El Salvador ao lado do dólar, e o Presidente destinou USD 30 para cada adulto de crédito em satoshis em uma wallet (carteira) Lighting Network. O objetivo é estimular microtransações, embora pessoas e empresas possam imediatamente converter valores recebidos em dólar, sem taxas.

Utilização do Ethereum cai, e altcoins desabam

O Ethereum chegou a cair 37% em dólar no mês, embora tenha recuperado metade disso. No entanto, o estrago foi suficiente para reduzir o ânimo dos investidores, especialmente nas finanças descentralizadas (DeFi).

Com a queda na utilização da rede Ethereum, a demanda por plataformas alternativas de smart contracts e soluções de escalabilidade desaparece. Por esse motivo, altcoins como Kusama (KSM), Horizen (ZEN), e Polygon (MATIC), cederam mais de 40% no mês.

Como resultado, a dominância, ou fatia de mercado, do Bitcoin subiu de 41,5% para 46% no mês. Cabe lembrar que esse indicador é poluído por dupla contagem, stablecoins – moedas pareadas em dólar, além de projetos sem liquidez efetiva.

MicroStrategy compra mais USD 480 milhões em Bitcoin, após levantar mais dívida na empresa. Michael Saylor protocolou intenção de emitir outros USD 1 bilhão de ações, e utilizar o capital para seguir comprando a criptomoeda. Listada na Nasdaq, atualmente conta com 105.084 BTC no balanço, equivalente a USD 3,52 bilhões.

Principais criptomoedas, ativos e bolsas mundiais – até 30/jun

Notícias do mundo cripto:

Fundos de investimento da Alemanha: Ficam liberados para aportar até 20% em criptomoedas, segundo lei que havia sido aprovada 3 meses antes.

Bolsa da Alemanha compra exchange: Deutsche Börse adquiriu a empresa Suiça Crypto Finance AG, que atua como exchange, custodiante além de gestora de fundos tradicionais.

China bane derivativos e OTC: Além de proibir a mineração de criptos no país, fechou as contas bancárias de operadores de OTC (mercado de balcão), e baniu exchanges estrangeiras de oferecer derivativos para chineses.

Bitcoin (BTC): Hash rate, o poder de mineração, cedeu 40% no mês após China banir mineradores por completo.

Bitcoin (BTC): Atualização Taproot é aprovada, com implementação prevista para novembro. Traz privacidade e reduz custo de operações mais complexas.

Ethereum (ETH): Gestora SkyBridge Capital de Anthony Scaramucci anunciou um fundo de investimento em ETH, além de intenção de lançar um ETF.

Ethereum (ETH): Vitalik Buterin dá um balde de água fria ao afirmar que o upgrade completo da Ethereum 2.0 só irá ocorrer no final de 2022.

Bitcoin Cash (BCH): LocalBitcoin, o mais tradicional site de negociação p2p, passou a intermediar trades de BCH.

Bitcoin Cash (BCH): Novo software em fase inicial de testes Bitcoin Verde sincronizou a rede em 1h20m. A promessa é de ocupar apenas 25 gigas de dados.

Litecoin (LTC): Dev do MimbleWimble, protocolo de privacidade, divulgou nova testnet.

Litecoin (LTC): Poder de mineração, hash rate, cai 53% após banimento na China.

Ripple (XRP): Ripple Labs divulga nova proposta de redes paralelas (sidechains) no modelo de federação, abrindo espaço para tokens e smart contracts.

Ripple (XRP): Ripple Labs é obrigada pela justiça dos EUA a informar seus manuais e procedimentos de negociação dos tokens XRP.

EOS (EOS): Block.one, empresa responsável pelo ICO da EOS, encerrou um processo de um grupo de investidores pagando USD 27,5 milhões através de acordo.

EOS (EOS): Ultra, startup que pretende comercializar jogos utilizando blockchain, lançou sua mainnet na rede EOS.

Além das Criptomoedas

Bolsas pelo mundo

Após forte alta das commodities e imóveis, investidores perceberam que a inflação veio para ficar, e com isso foram as compras na renda variável. Dados fracos de crescimento na Zona do Euro sustentaram a hipótese de juros baixos por mais tempo, além de novos pacotes de estímulo. Na Inglaterra o FTSE100 encerrou o mês com alta de 3,8%. Já a Alemanha teve seu índice DAX30 subindo 0,9%.

Quem se deu bem:

NVidia (NVDA US) em alta de 23% após alta de 84% na receita trimestral para USD 5,66 bilhões.

Via Varejo ON (VVAR3): em alta de 21% com expectativa de novo hub logístico para entrega de mercadorias em seu marketplace;

Braskem PNA (BRKM5) subiu 20% com potencial disputa de compradores pelo controle da empresa, atualmente nas mãos da antiga Odebrecht;

Quem se deu mal:

AIB Group PLC (AIBG): cedeu 20% após o banco irlandês anunciar perdas de créditos não-quitados por clientes.

Gol PN (GOLL4) cedeu 14% com potencial compra da Azul pela concorrente Latam;

Cielo ON (CIEL3) caiu 13,5% após renúncia do CEO;

Ilan Goldfajn, ex-presidente do Banco Central, diz que Bitcoin irá morrer

O simpático ex-presidente do Banco Central participou de uma reunião virtual promovida por um famoso escritório de advocacia esta semana. Ilan disse que Bitcoin e as demais criptos não vão sobreviver após o lançamento do CBDC, as moedas digitais emitidas por Bancos Centrais.

Ilan já havia chamado o Bitcoin de bolha e pirâmide no passado, e alega que somente governos podem garantir a estabilidade e aceitação das moedas.

Paul Tudor Jones aumenta alocação de Bitcoin para 5%

O bilionário investidor com uma fortuna pessoal de USD 7 bilhões anunciou que irá aumentar sua exposição original de 1% a 2% para até 5% em Bitcoin. Tudor citou a inflação e a perda do poder de compra das moedas fiduciárias.


Quer ficar por dentro de outras informações sobre moedas digitais? Assine a nossa newsletter e receba todas as nossas novidades em primeira mão!

Redator | BitcoinTrade

Breno tem mais de 12 anos de experiência com Marketing Digital. Já passou por grandes varejistas tradicionais e em 2017 se apaixonou pelas criptomoedas. Hoje é responsável pelas estratégias de comunicação e aquisição de novos clientes na BitcoinTrade.