Quem está começando a investir no mercado financeiro pode acabar perdido e confuso com tantas siglas. Uma dúvida comum é sobre o significado de IPO, também conhecido como abertura de capital – e um momento importante para as empresas.

Se você não sabe que é IPO e nem em como começar a investir nele, siga a leitura e entenda tudo sobre o assunto!

IPO: o que significa e como funciona

IPO é a sigla de Initial Public Offering, ou, Oferta Pública Inicial (OPI, em português). É a primeira vez que uma empresa realizará oferta de ações no mercado, abrindo seu capital para novos sócios/ acionistas.

Uma empresa que realiza um IPO, portanto, se torna uma companhia de capital aberto com papéis negociados no pregão da Bolsa de Valores.

Em geral, só empresas com certo grau de maturidade optam por realizar um IPO. No Brasil, essas operações costumam ser bem grandes, atingindo a casa das centenas de milhões de reais.

Para que uma empresa consiga ser listada na Bolsa, contudo, ela precisa seguir alguns parâmetros, como ser de sociedade anônima, ter transparência na prestação de contas e estar cadastrada na Comissão de Valores Imobiliários (CVM) e na Bolsa de Valores (B3).

Ao abrir o seu capital, a companhia consegue captar recursos e, dessa forma, ampliar seu negócio. Porém, como agora suas contas são públicas, elas enfrentam uma fiscalização mais rigorosa tanto dos acionistas como da CVM.

Funcionamento

O processo de um IPO dura em torno de 1 ano e tem um custo alto para as empresas em honorários, taxas e outras despesas. Para isso, é necessário montar uma equipe de IPO que contará com: banqueiro de investimento, advogados, contadores e especialista da CVM no Brasil.

Após isso, a empresa deverá reunir a informação financeira requerida, como identificação, venda ou exclusão dos ativos não rentáveis e encontrar áreas nas quais o fluxo de caixa poderá ser aumentado.

A partir de então, dentro de 8 a 10 meses antes da data do IPO, a empresa montará um prospecto e o divulgará para comentários. Este prospecto deverá incluir um histórico da demonstração financeira dos últimos 3 anos.

Essa fase chamada de roadshow consiste em encontros realizados pelas instituições financeiras que assessoram a operação com analistas financeiros, corretores e potenciais investidores. Durante esses encontros, espera-se que os executivos consigam esclarecer as dúvidas dos participantes, deixando-os confortáveis com a empresa e mais interessados em participar do IPO.

Seis meses antes do IPO, a empresa deverá escrever os contratos de propriedade e submeter as demonstrações financeiras a uma auditoria. Três meses antes do IPO, o conselho se reunirá e analisará a auditoria. A empresa, então, será listada na bolsa onde emitirá suas ações.

Um pouco antes de ocorrer o IPO, há a etapa de bookbuilding – um período de reserva, no qual os investidores podem enviar seus pedidos indicando quantas ações da nova empresa gostariam de adquirir. Assim, a partir da indicação dos investidores institucionais de quantas ações desejam, a empresa consegue estabelecer o preço pelo qual lançará os papéis, tendo uma noção da receptividade da oferta pelo mercado.

No último mês, a companhia depositará seu prospecto junto à CVM, emitirá o comunicado à imprensa e fará a venda das ações.

Tipos de ofertas

Dependendo da origem dos papéis e do destino dos recursos levantados, as ofertas em um IPO podem ser:

1)   Primárias: representam a venda de novas ações emitidas pelas companhias no mercado. Todo o dinheiro obtido vai para o caixa da empresa, que aumenta seu capital social. Esse recurso pode ser usado para a expansão do negócio;

2)    Secundárias: vendas de ações que já existiam. As empresas, então, não têm um aumento de capital. Os papéis vendidos são de sócios que, por algum motivo, querem se desfazer ou reduzir a participação deles no negócio. Ao invés de ir para o caixa da companhia, o valor das ações vendidas vai para o bolso dos proprietários que venderam os papéis.

Tornando a empresa de capital aberto, o IPO facilita a captação de recursos e a ampliação do negócio

Diferenças entre IPO e OPA

Além do significado do IPO, outra dúvida bem comum é sobre a sigla OPA. Ela significa Oferta Pública de Aquisição e é contrária ao IPO.

A OPA ocorre quando uma companhia deseja fechar o capital, ou seja, deixar a Bolsa de Valores. Então, o acionista majoritário deve fazer uma proposta de compra do restante das ações dos demais sócios.

Essa oferta, como a sigla sugere, deve ser pública para que todos os acionistas tenham conhecimento do processo.

O pedido de fechamento do capital deverá ser analisado pela CVM – e caso seja aceito, o valor sugerido para os papéis deverá ser aprovado por, no mínimo, 90% dos acionistas. Se houver divergência, é preciso realizar uma assembleia para que os acionistas cheguem a um consenso.

São vários os motivos que podem levar uma empresa a fechar o capital. O principal ocorre quando o responsável pela companhia acredita que as ações estão sendo negociadas a um preço abaixo do valor justo ou quando não há muita necessidade de captar recursos e investimentos.

Vantagens do IPO para empresas e investidores

Para as empresas, um IPO é um processo complexo e caro, porém que oferece vantagens interessantes. Da mesma forma, esse pode ser um ganho para os investidores. Vamos ver os pontos positivos para cada um deles.

Empresas

Algumas das vantagens que um IPO é capaz de trazer as empresas que decidem abrir seu capital são:

1)    Acesso a recursos: para se tornarem acionistas da empresa, os investidores precisam comprar papéis, entregando dinheiro em troca deles. Esses valores são usados para financiar investimentos necessários para o crescimento da empresa. Ao contrário de um financiamento, por exemplo, as ações não têm vencimento e não preveem um retorno específico. E, dependendo do caso, o custo das ações pode ser menor do que os financiamentos bancários ou outros tipos de operação de crédito;

2)    Liquidez: é uma maneira de a empresa dar liquidez a seus empreendedores ou sócios, já que eles podem vender suas ações a outros investidores do mercado, transformando seus papéis em dinheiro;

3)    Imagem: para abrir o seu capital, a empresa precisará adequar seus processos internos e elevar o nível de transparência sobre suas operações e resultados. Assim, há um ganho de credibilidade e também mais projeção e reconhecimento público, com maior visibilidade na mídia.

Investidores

A principal vantagem que um IPO traz aos investidores é a possibilidade de alcançar grande lucratividade, uma vez que as ações do IPO podem disparar de valor quando são vendidas pela primeira vez.

Tanto que, no mercado, é comum a presença dos flippers – investidores que têm como objetivo se desfazerem rapidamente das ações, basicamente no mesmo dia em que elas começam a ser negociadas no pregão, ganhando dinheiro com a alta que essas ações têm no primeiro dia de negociação.

Se você está pensando em comprar os papéis em um IPO para se tornar sócio da empresa e crescer junto com ela, no entanto, é preciso mais cuidado, pois você não terá acesso a um histórico detalhado do negócio (apenas referente aos últimos 3 anos) e não poderá saber, por exemplo, como ela reage a crises e em outros períodos econômicos diferentes desses últimos 3 anos.

Também é difícil saber como a empresa estreante está em relação aos seus concorrentes, especialmente caso ela pertença a um setor com poucas companhias listadas no pregão.

Por isso, é fundamental que quem deseja investir em um IPO acompanhe de perto as análises dos especialistas que, embora tenham acesso às mesmas informações do público geral, conhecem profundamente o mercado e, por isso, conseguem entender melhor a situação das companhias e emitir opiniões embasadas.

Justamente devido a esse desconhecimento quanto à volatilidade e à demanda, é que existe uma imprevisibilidade dos preços. E assim como as ações disparam de preço no dia de abertura de capital, podem sofrer uma queda expressiva alguns dias depois.

Apesar de maiores chances de lucro, investidores que apostam no IPO precisam acompanhar especialistas para entender as quedas e altas de preços.

IPO e criptomoedas

No universo das criptomoedas, também temos algo semelhante ao IPO do mundo das ações. Na área dos criptoativos, contudo, a sigla usada é ICO – Initial Coin Offering. Ou seja, é a proposta inicial para o lançamento de uma nova criptomoeda.

Essa é uma forma de financiar projetos de desenvolvimento de novas criptos, permitindo que os investidores recebam uma parte do novo ativo e paguem por ele em Bitcoin ou Ethereum.

Os ICOs existem desde 2013 e um dos mais famosos foi o ICO de Ethereum, que é um dos maiores cases de financiamento coletivo de criptoativos. Na época, foram levantados quase 20 milhões de dólares para financiar a ETH e sua plataforma.

O funcionamento do ICO é um pouco diferente dos IPOs, já que as negociações costumam ser realizadas em fóruns voltados para a criptomoeda, sendo o mais famoso o Bitcointalk.

Para isso, os responsáveis pela ICO devem oferecer uma série de informações aos interessados, como detalhes da equipe envolvida no projeto, whitepaper (documento com todas as informações relativas a nova cripto, como dados sobre seu funcionamento, tecnologia, questões comerciais e financeiras etc.), diferenciais e características especiais da nova criptomoeda, etapas necessárias para o desenvolvimento, cronograma etc.

Geralmente, os negociadores limitam uma quantia máxima que pretendem receber com a ICO – e a maior parte acaba sendo direcionada para o desenvolvimento da criptomoeda. O restante é dividido entre divulgação, publicidade, recompensas e lucro dos desenvolvedores.

Ao final do ICO, os investidores recebem suas moedas, podendo guardá-las, trocá-las ou vendê-las, quando elas forem listadas em uma exchange.

Vantagens

A principal vantagem de participar de um ICO é a chance de lucrar com a nova criptomoeda, caso ela se torne um sucesso. Porém, não há como saber isso.

Então, é fundamental analisar muito bem o whitepaper, os desenvolvedores e os diferenciais da criptomoeda, conferindo se há viabilidade tecnológica e operacional do projeto, evitando cair em fraudes ou garantias falsas.

Se você for um conhecedor profundo do universo das criptomoedas, terá mais chances de acertar em um bom ICO. Investidores iniciantes devem ter muita cautela. Isso vale tanto para ICO de criptomoeda como para IPO de ações.

Agora você já sabe o significado de um IPO? Ajude seus amigos a investirem melhor compartilhando essas dicas nas suas redes sociais!

Redator | BitcoinTrade

Breno tem mais de 12 anos de experiência com Marketing Digital. Já passou por grandes varejistas tradicionais e em 2017 se apaixonou pelas criptomoedas. Hoje é responsável pelas estratégias de comunicação e aquisição de novos clientes na BitcoinTrade.