O free-monero é um site que tem estado bastante em evidência no universo das criptomoedas ultimamente. Afinal, ele tem como premissa premiar os usuários com Monero, uma criptomoeda lançada em 2014 e que também tem sua estrutura baseada na blockchain.

Quer entender melhor como funciona o free-monero? Siga conosco!

O que é Monero?

Monero (XMR) é uma moeda de privacidade criada em 2014. Ela permite transações irrastreáveis, não interligáveis, privadas e resistentes a análises. Por isso, ficou conhecida como a criptomoeda dos hackers, já que foi usada por cibercriminosos devido a sua impossibilidade de rastreamento.

Atualmente, ela é a 16ª criptomoeda na tabela de capitalização de mercado da Brave New Coin, com valor de mais de 111 mil dólares.

Quando comparada a outras opções de privacidade, o Monero é líder de capitalização de mercado e taxas diárias.

Como essa criptomoeda surgiu e quais suas características?

O início dessa criptomoeda aconteceu em outubro de 2013, quando Nicolas van Saberhagen publicou o whitepaper da CryptoNote, como uma solução mais viável às transações P2P realizadas com Bitcoin.

O CryptoNote é o protocolo por trás de algumas criptomoedas e o seu principal objetivo é garantir o anonimato e a segurança dos usuários. 

A tecnologia começou a ser criada em prol da Bytecoin. Com diferentes entraves, a blockchain da Bytecoin acabou sendo dividida (hard fork), de onde nasceram várias criptomoedas, incluindo o Bitmonero que posteriormente passou a ser chamado de Monero (XMR).

Funcionamento

Bitcoin, Ethereum e a maioria das criptomoedas trabalham sobre blockchains transparentes. Ou seja, todas as transações são verificáveis e rastreáveis por qualquer pessoa na rede.

Isso significa que as chaves públicas que você compartilha quando faz uma transação podem ser associadas a você. 

Por exemplo, vamos supor que você use uma chave pública 123xyz. E você acaba transferindo dinheiro para um amigo que recebe esse valor associado ao endereço 123xyz.

Como o seu amigo sabe que você é que transferiu o dinheiro, ele consegue descobrir que a sua chave pública é 123xyz, tendo acesso a todos os registros desse endereço na blockchain.

O Monero usa uma tecnologia de encriptação de assinaturas digitais chamada ring signatures. Elas “confundem” as chaves públicas dos usuários, impedindo que alguém seja capaz de identificá-las.

Por exemplo, após você realizar a transferência para o seu amigo, a sua chave pública se altera. Então, na sua próxima transação para o mesmo amigo, ele não conseguirá reconhecer o remetente, já que a chave não será mais 123xyz.

Dessa forma, não há como rastrear as suas transações na blockchain. E os valores transferidos apenas são visualizados por quem tem acesso a essa chave, tornando mais difícil localizar os donos.

Então, embora o Monero também seja vinculado à blockchain, ele impede a identificação de quem transferiu os valores e deixa público, apenas, um identificador não vinculado às carteiras virtuais. Esses identificadores somente são desbloqueados pelo dono com a senha secreta da transação.

Além de tudo isso, o Monero ainda conta com um sistema de lavagem integrado. O método agrega todos os valores transferidos pela blockchain em diversas senhas diferentes e redistribui para os mesmos donos. A quantidade da criptomoeda permanece a mesma em cada senha, não gerando prejuízos aos donos.

Contudo, a origem dos valores é impossível de ser encontrada. A estratégia é usada há muito tempo por quem tem bitcoin e deseja o máximo de anonimato, mas no Monero esse é um recurso que já está embutido no código.

Assim como outras criptomoedas, o Monero opera independentemente de bancos centrais e agências reguladoras do governo e o seu valor deriva das forças de demanda e oferta do mercado e outros fatores da economia global.

Apesar das polêmicas que a dinâmica do Free-Monero pode gerar, essa faucet ainda constitui uma opção interessante para variar seus investimentos. 

 Usos do Monero

O Monero é uma criptomoeda que tem diferentes usos e aplicabilidade, como: meio de troca para a compra de bens e serviços, na negociação de ativos digitais, para pagamentos instantâneos por meio das carteiras digitais e como investimentos, para posterior revenda futura quando os preços aumentarem de patamar.

 Transações

Assim como no Bitcoin e em outras criptos, as transações com Monero também são processadas por mineradores – responsáveis pela segurança e validação de todas as entradas na rede.

O protocolo em uso é o modelo de Prova de Trabalho (PoW) que também é usado no Bitcoin. O recurso inovador deste modelo é que ele exige que os quebra-cabeças matemáticos sejam resolvidos antes que o valor seja criado ou transferido.

Taxas e despesas

A transação média na rede custa 0,0022 dólares. No entanto, os pagamentos são avaliados alternadamente no Bitcoin. Isso significa que quando o preço da criptomoeda dispara, as taxas pagas podem ser mais altas.

Além disso, outro fator que afeta as taxas de transação é o congestionamento da rede. Caso existam muitas transações na fila, aquelas com taxas prioritárias serão atendidas antes.

Mineração

Minerar Monero não exige nenhum equipamento mais sofisticado, como um ASIC (circuito integrado de aplicação específica), um tipo especial de hardware usado na mineração de Bitcoin.

É possível minerar Monero usando o CPU ou a GPU do seu computador. Isso torna essa cripto uma opção interessante para iniciantes que não querem investir muito para minerar criptomoedas.

O processo de mineração é semelhante ao do Bitcoin. Ou seja, o minerador que resolver o problema matemático primeiro é recompensando com a criptomoeda. A recompensa atual para minerar 1 bloco de transação é de cerca de 4,99 XMR.

O Monero tem um limite máximo que é de 18,4 milhões. Quando esse valor for atingido, novas moedas serão adicionadas ao sistema a uma taxa fixa de 0,3 XMR por minuto. Estas novas moedas serão utilizadas para recompensar os mineradores e mantê-los motivados para continuarem a minerar Monero.

O que é free-monero e como funciona?

Existem muitas faucets, além do Free-monero, mas elas nem sempre são seguras, por isso é importante conhecer a opinião de especialistas e se assegurar de que seu dinheiro está protegido.

O free-monero é uma faucet que paga frações de Monero. Os usuários podem reivindicar suas frações a cada 60 minutos, além de poderem ganhar até 250 dólares de Monero por reivindicação.

Uma faucet (que na tradução literal significa torneira) é um site que fica “pingando” frações de determinada criptomoeda até que se acumule um valor inteiro e possa solicitar a retirada.

Existem vários sites que distribuem frações de criptomoedas por método do faucet, como é o caso do free-monero. Normalmente, o usuário tem que realizar alguma ação no site para ter acesso a essa fração, como jogar na rede ou outras, enquanto fornece uma parcela de processamento do seu computador para o site.

Quando atingir uma quantidade, você pode solicitar a retirada das suas criptos para sua carteira digital.

Porém, nem todas as faucets realmente são confiáveis, já que algumas acabam não realizando o depósito das criptos nas carteiras dos usuários. A free-monero tem várias reclamações como essa, sendo, portanto, um site suspeito e não indicado.

Além da free-monero, existem outras faucets que remuneram em Monero, como: MoneroFaucet.info; express faucet; allcoins.pw-monero; xmr-faucet; claim free xmr, entre outras.

Porém, antes de usar essas faucets, é sempre recomendável buscar a opinião de usuários e reviews de sites especializados para saber se elas são mesmo confiáveis.

Quais outras formas de obter Monero?

Além das faucets, como a Free-monero, você pode obter a criptomoeda de outras maneiras, como a mineração que já explicamos e a compra da XMR em exchanges que a comercializa.

Quem já tem outras criptomoedas, como Bitcoin e Ethereum, poderá trocá-las por Monero em exchanges especializadas.

Assim, a forma mais segura de comprar Monero é por meio das exchanges. É importante também ter uma carteira que seja compatível com essa criptomoeda.

Caso você não tenha nenhuma criptomoeda, poderá comprar Monero pelas exchanges e pagar com dinheiro, cartão de crédito ou transferência bancária.

Monero: vantagens e desvantagens da criptomoeda

Apesar de todas as explicações, você ainda está em dúvida se Monero vale o investimento? Veja as vantagens e desvantagens dessa criptomoeda.

Vantagens

Como toda faucet, o Free-monero tem prós e contras e, só é interessante se corresponder ao seu perfil de investimento, por isso, busque se informar sobre!

Desvantagens

Agora que você leu todas essas informações, já está mais informado sobre o Free-monero? Gostou deste post? Assine nossa newsletter e receba as novidades do blog direto no seu e-mail!

Redator | BitcoinTrade

Breno tem mais de 12 anos de experiência com Marketing Digital. Já passou por grandes varejistas tradicionais e em 2017 se apaixonou pelas criptomoedas. Hoje é responsável pelas estratégias de comunicação e aquisição de novos clientes na BitcoinTrade.