Bitcoin é seguro? Conheça 6 vantagens de investir na moeda

A inovação trazida pela tecnologia das criptomoedas tem ganhado espaço atualmente, estabelecendo novos mecanismos de pagamento e uma maneira diferente de enxergar o mercado investidor. Mas a grande dúvida de quem está conhecendo esse cenário é: o Bitcoin é seguro?

Por ser uma moeda descentralizada, ou seja, que não é controlada por nenhum governo ou instituição, o Bitcoin ainda sofre muito com os efeitos de notícias negativas vinculadas a ele. Especialmente quando comparado com moedas tradicionais, mesmo sabendo que essa comparação é impossível, uma vez que as criptomoedas têm características e particularidades próprias.

Pensando nisso, desenvolvemos este artigo completo sobre Bitcoin e criptomoedas. Nele, você vai ter acesso a informações importantes que vão desde o histórico da moeda digital, até dados sobre segurança, investimento e tendências de mercado. Ficou curioso? Continue a leitura e confira!

O que é Bitcoin?

Mas afinal, será que você realmente sabe o que é o Bitcoin? Em que consiste essa tecnologia e de que forma ela é utilizada na rotina dos investidores e nas relações de consumo?

O Bitcoin é uma moeda virtual que pode ser usada como forma de pagamento. Ela existe exclusivamente na internet e as suas transações são feitas online, em um ambiente criptografado. Inclusive, a criptografia é o ponto-chave que demonstra a segurança do Bitcoin.

Apesar de não ser reconhecido oficialmente, e de não poder ser utilizado para pagar impostos ou quitar dívidas, o Bitcoin já é aceito como meio de pagamento em milhares de estabelecimentos. Além disso, a moeda já é vista como forma de investimento, inclusive com cotação na bolsa de valores.

Mas qual será a história por trás dessa moeda? Quem inventou essa tecnologia? Será que ela realmente representa uma mudança na forma como nos relacionamos com o dinheiro? Confira abaixo.

Como surgiu o Bitcoin?

O Bitcoin foi criado em 2008, por uma pessoa com pseudônimo de Satoshi Nakamoto. Até hoje ninguém sabe qual é o rosto que realmente criou a criptomoeda. Portanto, embora existam algumas especulações, o criador segue desconhecido.

Ainda que tenha sido criada em 2008, foi só em 2013 que a moeda estourou, tornando-se conhecida pela população e chamando a atenção de investidores. Em 2010, o Bitcoin foi utilizado para sua primeira transação, quando um programador da Flórida, nos Estados Unidos, usou cerca de 10.000 moedas virtuais para comprar uma pizza de US$ 30.

Em 2013, o valor do Bitcoin saltou de US$ 125 para US$ 1.200, fazendo com que o mundo voltasse os olhos para aquele que estava sendo chamado de “dinheiro do futuro”.

No ano seguinte, em 2014, a gigante Microsoft começou a aceitar pagamentos em moedas virtuais para a compra de produtos digitais, aumentando a especulação e a valorização do Bitcoin.

Também no início de 2014, o maior operador de Bitcoin do mundo sofreu um ataque ‘hacker’, fechando sua operação e dando um prejuízo de mais de 750 mil criptomoedas aos seus membros.

Esse ataque fez com que a moeda perdesse mais da metade de seu valor de mercado. Após isso, ela se recuperou, ganhou prestígio e segue sendo disseminada e valorizada.

Por fim, destaca-se que a máxima histórica de cotação do Bitcoin foi de US$ 19.551, valor atingido em 17 de dezembro de 2017.

O Bitcoin é seguro?

Um dos temas centrais envolvendo o debate sobre moedas digitais diz respeito à sua segurança. Por isso, a preocupação dos investidores está diretamente relacionada à rentabilidade e à garantia de que seus investimentos não serão perdidos ou mal aproveitados.

O mercado de criptomoedas ainda gera muita desconfiança nos investidores, especialmente naqueles que não têm conhecimento sobre o universo da tecnologia, do Blockchain e da criptografia. 

Esse desconforto é compreensível, já que é fácil entender porque as pessoas desconfiam de um mercado que surgiu aparentemente do nada e não tem nenhuma regulação ou órgão responsável.

Mas para entendermos melhor sobre a segurança do sistema do Bitcoin, temos que falar sobre o Blockchain, que nada mais é do que uma cadeia de blocos de informações que compila as transações de forma criptografada.

Cada bloco de informação tem a sua própria assinatura, fazendo com que a ligação entre eles seja extremamente segura. Para acessar um bloco, é necessário decifrar seu algoritmo e o algoritmo do bloco anterior, que precisaria do algoritmo antecedente e por aí vai. Portanto, podemos dizer que o sistema do Bitcoin é seguro!

Existem riscos ao investir em Bitcoin?

Sim, muito embora os protocolos de transação do Bitcoin se destaquem com relação às demais criptomoedas, tendo estabelecido o seu nome como um jargão conhecido para denominar um grupo de várias outras moedas virtuais, o Bitcoin também apresenta fraquezas e riscos.

A primeira fraqueza, que em alguns aspectos também pode ser vista como uma força, é a ausência de uma centralização. Como não existe nenhum órgão ou entidade responsável pelo controle dessas moedas, elas ficam à mercê de um grupo de pessoas que atua nas negociações, o que pode vir a gerar uma certa instabilidade.

Nesse sentido, a falta de regras e legislações específicas a respeito do Bitcoin deixa o ambiente de negociação mais inseguro, aumentando o risco do investimento. Embora tudo funcione muito bem, em algumas situações, pode ser arriscado não ter nenhuma lei ou norma regulamentando a atividade.

Outro aspecto que é considerado um risco são as mudanças drásticas que podem acontecer na valorização e na oferta do produto. Hoje, a lei de oferta e procura é o único fator que determina o valor do Bitcoin, isso acaba gerando uma oscilação muito grande da moeda, que pode sofrer desvalorizações significativas de um dia para o outro. 

Até hoje não foi registrado nenhum ataque significativo ao sistema propriamente dito, já que uma ocorrência desse tipo causaria danos a milhões de usuários e investidores. Contudo, não é possível descartar essa hipótese, até porque, quanto mais a moeda se populariza e se valoriza, mais ela chama a atenção de hackers e de pessoas mal-intencionadas.

Por fim, outro aspecto que pode representar um risco, especialmente a longo prazo, é o surgimento e a valorização de outras moedas virtuais. O Bitcoin é a primeira e mais promissora das criptomoedas, mas anualmente surgem inúmeras outras opções, com características e diferenciais em relação à moeda primária.

Isso pode influenciar o Bitcoin, que ao longo do tempo poderá cair em desuso e ser substituído por outra moeda, com uma tecnologia mais rentável e que atraia o interesse de um número maior de investidores.

Todas essas novas moedas têm um potencial alto e surgem com o mesmo perfil especulativo do Bitcoin. Assim, elas podem interferir no valor e no futuro desse mercado.

Quais são as vantagens de investir em Bitcoin?

1. Tem tendência à valorização

A quantidade de Bitcoins existentes é controlada pelo protocolo do sistema. Isso significa que existe um limite máximo para mineração da criptomoeda. Por ter um caráter limitado e depender da disponibilidade de moeda no mercado, o Bitcoin é um investimento que tende a valorizar ao longo do tempo.

Além disso, a sua popularização acaba influenciando a demanda de procura, aumentando, consequentemente, a oferta e valorizando a moeda.

2. É menos burocrático

Para comprar Bitcoins não é necessário fornecer mil documentos e esperar por processos de confirmação de dados demorados. O cadastro em uma corretora geralmente é confirmado no mesmo dia, e só é preciso enviar a identidade e o comprovante de residência.

Mas é importante ficar atento, não negocie sua criptomoeda em qualquer trade, busque empresas sérias e reconhecidas no mercado e faça uma pesquisa antes de fornecer seus dados para a plataforma. Além disso, lembre-se de que os seus Bitcoins devem ser armazenados em uma carteira específica, destinada às criptomoedas.

As carteiras também devem ser seguras, garantindo que você não vai sofrer ataques de hackers.

3. Tem aceitação global

O Bitcoin é uma moeda global, por isso, quase todos os países já aceitam a moeda virtual como pagamento para transações no dia a dia. A criptomoeda pode ser utilizada sem burocracia e bloqueio de fronteiras do mercado internacional. A sua grande vantagem é a ausência de tarifas de conversão, já que o seu valor é o mesmo em todos os países.

Além disso, em alguns locais, é possível encontrar caixas eletrônicos (ATMs) que permitem o saque de Bitcoins em dinheiro. Esses caixas estão espalhados por 75 países, incluindo Brasil, Estados Unidos, Canadá e França.

4. Não pode ser congelado

Por não ser controlado por nenhum governo e nem ser regulamentado por um Banco Central, o Bitcoin não pode ser embargado e sofrer sobretaxas e impostos, como ocorre com algumas moedas. Assim, a criptomoeda lhe dá liberdade para utilizá-la da melhor maneira possível.

Como falamos, a descentralização é uma moeda de dois lados, se por um lado parece trazer insegurança, por outro apresenta uma vantagem interessante em termos de cobranças de taxas e impostos.

5. Existe muita informação disponível

Apesar de existir a poucos anos e de ser uma incógnita até pouco tempo, existem inúmeros sites e blogs de finanças especializados nesse tipo de tecnologia.

As informações sobre Bitcoins já estão disseminadas e é possível encontrar várias empresas que incentivam o investimento e até facilitam o acesso dos usuários interessados em comprar a moeda digital.

Além disso, podemos achar inúmeros fóruns nos quais os investidores e os usuários discutem e trocam informações a respeito do mercado e das tendências envolvendo a moeda.

6. As taxas são menores

As transações realizadas com moedas virtuais têm um custo mais baixo do que aquelas que necessitam da intermediação de bancos, agências financeiras ou operadoras de cartão de crédito.

O usuário deve realizar o pagamento de uma taxa aos mineradores quando for efetuar uma remessa de Bitcoins, porém, o custo dessa taxa é variável. Diferentemente do dinheiro convencional, a criptomoeda não está sujeita à cobrança de taxas cambiais, IOF e outros custos.

Quais são as principais dicas de investimento?

Estude

Quando se fala em investir em Bitcoins, podemos encontrar histórias de sucesso e de completo fracasso. Para minimizar o risco do investimento e não fazer parte do percentual de pessoas que falharam em suas aplicações, é necessário estudar. Certifique-se de entender a complexidade das moedas virtuais antes de investir seu dinheiro.

Para isso, busque informações em diferentes meios e converse com usuários que atuam nesse mercado. Eles têm experiência e dicas importantes para quem está começando a comprar e vender.

Tenha cautela

Por ser um investimento volátil, o Bitcoin oferece maiores riscos para investidores novatos. Não invista dinheiro que não pode perder e aposte em estratégias de investimento cautelosas, sabendo que elas podem gerar grandes resultados.

Assim como qualquer investimento, o Bitcoin oferece riscos, por isso, a cautela vai ser o diferencial entre o sucesso e o fracasso do seu investimento.

Mantenha o seu dinheiro fora das casas de câmbio

Ainda ocorrem alguns roubos e pirataria no ambiente cripto. Muitos usuários foram seriamente afetados em ataques a casas de câmbio. Por isso, recomendamos que suas moedas não sejam mantidas nelas. A melhor forma de proteger seus Bitcoins é mantê-los em uma carteira de hardware, na qual somente você tem o controle. 

O interesse das pessoas pelas moedas digitais está crescendo, mas entrar nesse mundo ainda pode ser amedrontador. Felizmente, hoje nós podemos encontrar informações suficientes para investir com segurança! 

Se você quer se tornar um investidor de sucesso, lembre-se de pesquisar sobre o mercado, fazer backups dos seus dados regularmente e buscar a assessoria e o apoio de exchanges descentralizadas. Com isso, você poderá ter resultados satisfatórios, conhecendo a moeda e sabendo como realizar uma troca segura.

Neste artigo, você descobriu um pouco da história do Bitcoin e 6 vantagens em investir em uma moeda virtual. Além disso, agora você sabe o quanto o Bitcoin é seguro e está preparado com as nossas dicas sobre investimentos em criptomoedas.

Agora que você já entende mais sobre o Bitcoin, que tal começar a investir? Entre em contato com a Bitcointrade e descubra como podemos ajudá-lo a se tornar um investidor 4.0.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"