Entenda o que é Blockchain e sua relação com os Bitcoins

As criptomoedas estão se tornando cada vez mais populares. Se até pouco tempo atrás elas eram assunto exclusivo dos entusiastas e especialistas em tecnologia, hoje, elas despontam nos sites de notícias de economia e fazem parte da estratégia de investimento de muita gente. Nesse contexto, sempre que se lê a respeito do bitcoin, a mais conhecida das moedas virtuais, é comum deparar-se também com a expressão Blockchain. Mas você sabe o que é Blockchain e qual a sua relação com o bitcoin?

Desenvolvemos este artigo com o objetivo de esclarecer as principais dúvidas a respeito do tema, ajudando os investidores a conhecerem melhor o que é Blockchain, como ele funciona e qual é a sua relação com o bitcoin.

Quer saber mais? Então, continue a leitura deste artigo e descubra!

Qual é a relação entre Blockchain e bitcoin?

Antes de buscar compreender a tecnologia que está por trás do bitcoin, primeiro é necessário entender melhor o que é esta moeda virtual e quais são suas principais características.

Criado em 2009, o bitcoin foi a primeira moeda digital lançada no mercado, e sua principal característica é a descentralização, já que a mesma não depende de nenhum banco central, como é o caso das moedas tradicionais.

Os bitcoins são verificados por uma rede peer-to-peer, ou seja, trata-se de um sistema de compartilhamento no qual os computadores trabalham de ponto a ponto, em que cada um dos pontos funciona como cliente e servidor, possibilitando o compartilhamento de dados, sem a necessidade de um servidor central.

Mas a grande sacada do bitcoin é, sem dúvida, o fato de ser uma moeda totalmente digital, já que é impossível encontrá-la de forma física. Com isso, para guardar o seu “dinheiro” virtual, é necessário que ele seja armazenado em alguma carteira também virtual.

O fato de ser uma moeda descentralizada e não haver vínculo com nenhum banco, torna-a versátil, mas isso não significa que inexiste controle sobre ela — e é justamente neste ponto que entra a tecnologia Blockchain. 

O que é Blockchain?

Agora que você já conheceu as principais características e os conceitos envolvendo o bitcoin, fica mais fácil entender como a tecnologia Blockchain encaixa-se dentro desse contexto. 

Trata-se de um “local” onde ficam armazenadas todas as informações sobre as transações realizadas com as moedas virtuais. Esse grande arquivo fica acessível a todos os usuários do sistema, o que garante a transparência das operações.

Assim, é possível que um usuário no Brasil tenha acesso a informações sobre uma negociação que aconteceu entre usuários localizados nos Estados Unidos e na Itália, por exemplo.

Naturalmente, não é possível ter acesso a informações detalhadas sobre a identidade desses usuários, já que as transações são criptografadas. Porém, a existência da transação permanecerá disponível no Blockchain por tempo indeterminado e será acessível a todos.

Vale destacar que esse sistema não permite que o usuário altere ou desfaça qualquer transação, o que significa que não é possível voltar atrás caso você se arrependa de uma negociação de venda dos seus bitcoins, por exemplo.

Dessa forma, sinteticamente, é possível definir o Blockchain como uma cadeira de blocos que faz parte de um sistema coletivo de registro. Na prática, significa que as informações contidas nesses blocos não são guardadas em apenas um lugar, mas distribuídas entre diversos computadores conectados a ela.

Como funciona a tecnologia blockchain?

Muito embora pareça complicado para quem não conhece, entender como funciona a inovadora tecnologia Blockchain não é tão difícil assim.

Primeiro, é interessante entender que essa tecnologia é uma das principais razões pelas quais o bitcoin se popularizou e ganhou tantos adeptos no mundo.

A expressão Blockchain é autoexplicativa, já que denota a ideia de uma cadeia de blocos. Nesse sentido, cada um destes blocos que formam a cadeia contém inúmeras informações sobre as transações realizadas e, também, uma assinatura digital, que é chamada de hash.

Esta assinatura do bloco atua como se fosse uma impressão digital, o que agrega ainda mais segurança para a operação, que, além disso, é criptografada.

hash, ou simplesmente assinatura digital, tem o condão de ligar um bloco ao outro e é com isso que se forma uma cadeia que liga os blocos entre si.

São os chamados mineradores: as pessoas responsáveis por ligar os blocos. Eles atuam reunindo as transações não inseridas em um bloco e as adicionam a blockchain com a respectiva assinatura.

Para realizar esse trabalho de mineração é necessário realizar cálculos complicados, o que só pode ser feito utilizando um computador potente. Dessa forma, para compensar o trabalho desenvolvido de validação das informações, os mineradores recebem bitcoins como forma de “pagamento”.

Ainda a respeito dos blocos, é válido destacar que todos eles têm uma capacidade máxima e são criados de forma constante. Em se tratando de bitcoin, são adicionados novos blocos a cada dez minutos, em média.

Isso significa que, a cada dez minutos, são verificadas e adicionadas ao Blockchain inúmeras transações de compra e venda de bitcoin entre os usuários da moeda. A efetivação da transação e a saída da moeda da carteira do vendedor para a do comprador só ocorrem depois que um bloco inteiro é preenchido e verificado.

Outra característica interessante envolvendo a tecnologia é que esses blocos são selados por códigos criptografados, o que significa que é praticamente impossível violar ou adulterar qualquer informação ali contida. Nestes quase 10 anos de bitcoin, nunca aconteceu nenhuma invasão nesse sentido.

A base que sustenta a tecnologia blockchain é baseada em quatro premissas:

  1. Criptografia — protocolo que impede que terceiros tenham acesso a informações privadas. É a base da segurança do bitcoin.
  2. Compartilhamento das transações — é o que traz transparência para os processos de negociação das moedas.
  3. Entendimento para verificação das transações — ou seja, usuários reconhecem o funcionamento do sistema e a transparência das operações;
  4. Contrato — que estabelece as regras e o funcionamento das transações envolvendo as moedas virtuais.

Quais são os critérios para utilização do Blockchain e os processos elegíveis?

Para utilizar o sistema Blockchain, é necessário atender a alguns critérios básicos estabelecidos para manter uma rede de negociação.

O primeiro critério é que as transações realizadas pela rede de negociação sejam rastreáveis. Além disso, elas devem ter registros únicos e inalteráveis.

Ainda, outro critério é a necessidade de estabelecer ou de aumentar a relação de confiança existente entre os membros que integram essa rede, focando em processos de identidade e em novos modelos de negócio.

Por fim, o último dos preceitos é que os processos sejam complexos e mantenham em seu cerne uma cadeira de validação que tenha inúmeros níveis.

Depois da definição do processo, o blockchain é incluído em uma dessas camadas intermediárias de transações, em que são programadas as regras do negócio aplicadas ao sistema e os níveis de acesso dos mesmos à rede de informações.

Muito embora o tema seja técnico, o que se pode perceber é que todo o sistema e a tecnologia por trás do bitcoin, representados pelo Blockchain, demonstram não só a eficiência da moeda virtual, mas, principalmente, a sua segurança e complexidade, o que traz elementos que permitem compreender o porquê de ela ter se popularizado em todo o mundo.

Agora que você já sabe o que é blockchain, que tal aprofundar o seu conhecimento? Acesse o site da bitcoin Trade e comece a fazer parte do universo das criptomoedas!

 

 

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.