Será que criptomoeda e futebol combinam? Pode até parecer mentira, mas assim como outros setores, o mercado de futebol também já adotou as moedas virtuais como forma de pagamento e, em muitos casos, até na criação de novas criptomoedas com foco no esporte.

Apesar de sabermos de todo o seu crescimento, não podemos deixar de notar que esse é um grande avanço, o que mostra que as moedas virtuais podem se encaixar em qualquer setor, não somente no mercado financeiro.

Por isso, no post de hoje, vamos falar um pouco mais dessa sinergia com o setor futebolístico. Continue acompanhando a leitura para entender melhor sobre o cenário atual, bem como o futuro desse mercado.

A união entre criptomoeda e futebol

Antes de mais nada, vamos falar sobre como esse movimento resultou na união entre esses 2 mundos distintos: a criptomoeda e futebol. O fato é que o futebol é um dos esportes que mais circula dinheiro atualmente — principalmente quando o assunto é a movimentação financeira vinda das transferências dos jogadores nos diversos campeonatos do futebol europeu.

Sabemos que as criptomoedas ainda não estão fazendo parte desse processo com uma grande expressividade, mas já estão começando a ocupar o seu espaço. Por exemplo, clubes grandes (como o Real Madrid) já as aceitam como forma de pagamento em alguns de seus serviços, tal como nas visitas guiadas em seu estádio.

Além disso, podemos citar o futebol turco, em que alguns clubes chegaram até a comprar atleta com o uso de criptomoedas. Também há alguns clubes que criaram as suas próprias moedas virtuais. Vamos falar sobre isso no próximo tópico.

Tudo isso vem chamando a atenção de muitos cartolas do mundo todo, que já começam a pensar na utilização das criptomoedas para as principais atividades dos seus clubes. Afinal, já reconhecem que as criptomoedas são grandes aliadas.

A utilização das criptomoedas pelos clubes de futebol

Para ficar mais claro o cenário atual, vamos listar alguns exemplos da utilização das criptomoedas por alguns clubes e órgãos do futebol nacional e mundial. Veja abaixo como a união desses 2 mundos está mais avançada do que você imagina.

Bragantino

Vamos começar com um exemplo brasileiro: o clube Bragantino, do interior de São Paulo. O time de futebol chegou a fechar contrato com 2 patrocinadores utilizando criptomoedas — algo inédito no futebol brasileiro e que é muito bem-visto atualmente.

Esse fato mostrou que é possível, sim, criar um vínculo forte entre as criptomoedas e as atividades financeiras de um clube de futebol.

Corinthians e Atlético Paranaense

O próximo exemplo brasileiro diz respeito a dois grandes clubes: o Corinthians e o Atlético Paranaense. No caso, a parceria que o clube paulista e o paranaense firmaram com uma empresa de Hong Kong (que trabalha com criptomoedas) para a realização do pagamento de contas dos clubes por meio das moedas digitais.

Dentre as responsabilidades dessa parceria, destacamos o pagamento de salários de funcionários de ambos os clubes.

Avaí

Continuamos no futebol brasileiro. Agora, damos destaque para a parceria que o Avaí, clube catarinense, firmou para realizar uma ICO — que, basicamente, é o levantamento de investimento para criar uma criptomoeda — de mais ou menos 20 milhões de dólares, para arrecadar fundos em prol dos projetos do clube.

Dentro esses projetos, destaca-se a volta para a série A do campeonato brasileiro. Com a compra da criptomoeda, os adquirentes terão prioridade em comprar ingressos e outras experiências oferecidas Avaí.

Juventus e Paris Saint-Germain

Agora vamos dar um pulo na Europa. Os protagonistas da história são a Juventus, da Itália, e o Paris Saint-Germain, da França — que estão investindo na mesma ideia do Avaí, criando as suas próprias criptomoedas.

Essas moedas digitais, além de serem ativos financeiros para os seus usuários, oferecerão benefícios diferenciados para os torcedores, tal como a compra de uniformes, a participação de eventos com jogadores dos clubes, além de poder comparecer em partidas oficiais.

UEFA

Na Europa, não são somente os clubes que estão começando a surfar na onda das criptomoedas. A UEFA, a Confederação Europeia de Futebol, fez um teste em 2018 utilizando um aplicativo baseado no blockchain.

Na ocasião, esse aplicativo foi utilizado para vender os ingressos da partida Real Madrid x Atlético de Madrid. A confederação destacou que o teste foi um sucesso, o que indica que esse ano pode haver uma continuação do projeto.

Atlético Mineiro

Por fim, trazemos aqui um dos principais exemplos do futebol brasileiro. Estamos falando do Atlético Mineiro, que lançou a primeira criptomoeda do futebol brasileiro: o GaloCoin. A ideia é que os torcedores possam investir no clube e alavancar o seu programa de sócios.

Dessa maneira, terão prioridade para comprarem ingressos para partidas, bem como adquirir outros serviços e acessórios oferecidos em suas lojas, tal como camisas e uniformes de todas as suas equipes.

Os motivos de investir em criptomoeda e futebol

Tudo indica que, cada vez mais, as criptomoedas vão fazer parte do mundo do futebol, principalmente no que diz respeito a trazer inovação para esse universo, que é tido como arcaico por muitos.

Já não é de hoje que o futebol demonstra sinais de que precisa se reinventar na sua parte administrativa e investir em tecnologia — e encontrar maneiras de tornar a sua operação financeira mais eficiente é um dos desafios, visto que é uma atividade que movimenta uma quantidade grande de dinheiro.

Por isso, preparamos uma pequena lista com alguns dos motivos que dizem valer a pena o investimento nesse mercado:

Deu para notar a sinergia que já existe entre criptomoeda e futebol, certo? Por isso, a tendência é que esse movimento só cresça daqui para frente — sendo que quanto mais cedo começar, maiores serão os ganhos no futuro. Então, não perca tempo e comece a pensar na ideia de também fazer parte disso!

Gostou desse post? Então, assine a nossa newsletter para saber de todas as nossas novidades em primeira mão!