A Libra, conhecida como a criptomoeda do Facebook, está movimentando a internet e os aficionados por tecnologia, balançando até mesmo o universo financeiro nos últimos meses. Desde o seu anúncio oficial, em junho deste ano, um número considerável de pessoas passou a se interessar por esse lançamento – e também a especular sobre ele.

Embora seja conhecida como a moeda do Facebook, a Libra, na verdade, é uma iniciativa de mais de 20 empresas e organizações ao redor do mundo que se uniram em uma espécie de consórcio sem fins lucrativos denominado Libra Association. 

A lista de empresas envolvidas com a criptomoeda do Facebook é grande e conta com nomes importantes do cenário da tecnologia e do mercado financeiro. Além do Facebook, que parece “encabeçar” o projeto, também estão presentes: Uber, Vodafone, Spotify, Coinbase (uma das maiores cripto corretoras do mundo), Lyft e várias outras.

Quer entender melhor sobre a Libra? Continue a leitura!

O que é e como funcionará a criptomoeda do Facebook?

A Libra é uma moeda virtual desenvolvida para facilitar as transações financeiras pela internet. No evento de lançamento, que aconteceu em junho de 2019, Zuckerberg, fundador do Facebook, disse que a criptomoeda seria uma forma de permitir que mais de um bilhão de pessoas que não têm acesso à contas bancárias mas contam com um smartphone pudessem realizar transações financeiras pela rede.

A ideia é que a Libra impulsione o comércio de produtos dentro das redes sociais, desenvolvendo, assim, uma forma de pagamento mais barata. Com menos intermediários, a moeda poderá ser mais eficiente do que as que temos acesso atualmente.

A criptomoeda do Facebook tem como objetivo impulsionar o comércio dentro das diferentes redes sociais.

Seu funcionamento será um pouco diferente do Bitcoin e outras criptomoedas. Mesmo assim, a Libra não será uma moeda fiduciária, mas sim uma Stablecoin (moeda estável) atrelada a um grupo de ativos. 

De acordo com o seu White Paper (documento que especifica as particularidades da criptomoeda do Facebook), ela será lastreada por uma cesta de ativos em várias moedas de primeira linha, as quais ficarão custodiadas em instituições financeiras também de primeira linha.

Cotação

Hoje, uma dificuldade enfrentada pelas principais criptomoedas do mercado, como o Bitcoin e o Ethereum, é a alta volatilidade. Isso acontece porque o seu valor é definido, basicamente, pela lei da demanda e oferta.

A ideia da criptomoeda do Facebook é um pouco diferente, já que ela foi concebida, ainda de acordo com seu White Paper, para que cada usuário saiba o valor da sua cotação, fazendo com que o preço de hoje seja semelhante ao de amanhã. Assim, a expectativa é que a sua cotação seja relativamente estável. Interessante, não?

Isso só será possível graças a reserva de ativos reais e de baixa volatilidade aos quais a Libra estará lastreada, como os depósitos bancários e títulos governamentais de curto prazo em moedas de bancos centrais e de boa reputação. Dessa maneira, conforme esses ativos sobem ou caem de preço, a moeda do Facebook também terá um aumento ou uma redução na sua cotação.

Funcionamento

Assim como o Bitcoin, a criptomoeda do Facebook também funcionará em cima de uma Blockchain que será open source, segura e estável, lastreada em ativos reais e com governança dada por meio de uma associação independente.

Os fundadores também falam sobre o desenvolvimento de uma nova linguagem de programação (a MOVE Programming Language), para cumprir com os requisitos de segurança dos contratos inteligentes da plataforma.

Pontos positivos e negativos da Libra

Embora a expectativa do funcionamento da criptomoeda do Facebook seja só para 2020, muitas pessoas já estão especulando sobre a nova moeda – e também sobre o papel do Facebook nela. Como dissemos, essa não é uma moeda desenvolvida apenas pela rede social de Zuckerberg, porém, acredita-se que a empresa seja uma das principais “cabeças” do projeto. 

O investimento do Facebook na Libra é tão grande que ela está lançando uma subsidiária independente chamada Calibra para desenvolver maneiras de permitir transações de Libra via Facebook Messenger e WhatsApp, além de desenvolver uma opção de carteira digital para armazenar e transacionar a nova moeda.

Pontos positivos

Um dos pontos positivos mais destacado é a expectativa de uma menor volatilidade (ou maior estabilidade) da criptomoeda do Facebook.

Embora ainda não se saiba muito bem como a Libra funcionará, especialistas do setor já especulam alguns pontos positivos sobre a nova moeda do Facebook, como:

Pontos negativos

Contudo, a criptomoeda do Facebook também poderá trazer e sofrer com algumas desvantagens, como:

Será que a criptomoeda do Facebook significará o fim do Bitcoin e outras altcoins?

Mas o que vai acontecer com o Bitcoin e as altcoins? Para saber a resposta dessa questão será preciso acompanhar o cenário das moedas criptografadas.

Embora muitos especulem, ainda não é possível saber quais serão os impactos da Libra para o Bitcoin e outras altcoins. Um cenário possível é que, com mais pessoas compreendendo o funcionamento das moedas virtuais, as criptomoedas realmente descentralizadas se tornem uma alternativa ao mercado financeiro tradicional.

Assim, é importante destacar que, assim que foi realizado o anúncio do lançamento da Libra, em junho, o Bitcoin teve uma alta significativa, mostrando que há, sim, uma possibilidade real de uma moeda virtual acabar influenciando outra, ainda que não exista como prever a maneira como o Bitcoin e as demais altcoins se comportarão diante da criptomoeda do Facebook.

Conclusão

Como você viu, embora seja conhecida como a criptomoeda do Facebook, a Libra, que deverá ser lançada em 2020, é uma iniciativa de uma série de empresas importantes do ramo de tecnologia e do mercado financeiro.

Enquanto o Bitcoin e outras importantes altcoins têm um caráter descentralizado e não são atrelados a nenhum investimento ou ativo, a Libra será centralizada por essas empresas fundadoras e terá um lastro associado à investimentos em bancos, o que dará a ela menos volatilidade.

Assim como em todas as inovações no mercado financeiro, a Libra também apresenta seus pontos positivos e negativos. Por isso, é natural que haja apreensão sobre como ela modificará a forma como compramos e vendemos produtos na rede. Mas, o mais indicado para entender essas modificações é sempre ficar atento ao mundo das criptomoedas e acompanhar as notícias e novidades sobre elas. Para isso, não deixe de acompanhar o nosso blog e ficar por dentro de todos esses assuntos!

Conheça a BitcoinTrade

Gostou de saber mais sobre a Libra, a moeda do Facebook? Ajude seus amigos a se informarem sobre o tema: compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais!