Que semana, pessoal! Na última segunda feira, o Bitcoin se desvalorizou cerca de 3%. Ontem tivemos mais uma queda, de quase 5%. E hoje logo pela manhã, o preço chegou ao patamar de US$ 6.800. No momento, a cotação já recuperou uma parte da queda, e a variação acumulada nas últimas 24 horas está 6% negativos, na cotação em dólares.

O mercado entrou numa ressaca após alta recorde de 40% em 25/Set com o discurso pró-blockchain de Xi Jinping, Presidente da China. Foram quase 25% de queda em 27 dias desde aquele pico de USD 10.300.

Qual o motivo da correção?

Primeiramente tudo depende de perspectiva, pois apesar da queda enfrentada nos últimos meses seguimos com mais de 100% de alta em 2019. De qualquer forma, o pump ocorrido após discurso do presidente da China foi exagerado e infundado.

O governo chinês chegou inclusive a divulgar no jornal Xinhua que apesar do Bitcoin ter sido a primeira experiência de sucesso do blockchain, sua volatilidade e dificuldade em prevenir lavagem de dinheiro pesam contra sua adoção.

Curiosamente retornamos aos USD 7.000, um pouco abaixo do nível de 24/Out, dia anterior ao pump histórico de 40%. Isto sinaliza que trata-se de um ajuste de uma expectativa inflada pela euforia de um discurso que em nenhum momento recomendou a compra Bitcoin ou qualquer outra criptomoeda.

Há espaço pra continuar caindo abaixo de USD 7.000?

É muito difícil fazer alguma previsão neste sentido. O bitcoin se desvalorizou por uma série de motivos. Os investidores podem ter desanimado momentaneamente por inúmeros motivos: Facebook Pay e parceria do Google com Citigroup; Redução no risco de impeachment do Trump; Taxa de juros de alguns países saindo do território negativo; Declaração da Receita Federal EUA de que transações cripto-cripto nunca foram isentas, etc.

Mesmo alguns pontos que consideramos benéficos para criptomoedas podem ser interpretados por uma ótica negativa, por exemplo a afirmação do ex-presidente da agência reguladora CFTC de que o governo dos EUA fez um esforço coordenado para conter a alta das criptomoedas em 2017. 

Como isto impacta a dominância?

Geralmente períodos de queda ou lateralização do Bitcoin são benéficos pra altcoins. Nas últimas 3 semanas a dominância reduziu-se de 68,5% pra atuais 66%. Pode parecer pouco, mas isto foi suficiente pra altas de 8 a 10% em Ethereum, Litecoin, EOS e até mais em outras altcoins.

Não há uma única estratégia vencedora. Se você já está posicionado em alguma moeda e tem a possibilidade de aproveitar a baixa pra acrescentar em sua posição, excelente. Da mesma forma, se não está confortável com a queda, ou acha que podemos ter um novo inverno buscando USD 5.000 – 6.500, coloque sua oferta de compra no livro e aguarde.

Em que casos é benéfico vender na queda?

Deve-se evitar vender sua posição nestes períodos de queda por estarmos falando de uma classe de ativos muito nova e extremamente pequena quando comparado aos demais mercados: ações, imóveis,metais preciosos, etc. O valor de mercado de todas as criptomoedas somado gira em torno de USD 200 milhões. Só o ouro já extraído tem valor mercado acima de USD 8 trilhões.

Embora não seja possível prever quando a adoção de criptomoedas irá acelerar ou mesmo calcular seu potencial de crescimento podemos afirmar que ao longo dos últimos 4 anos houve uma expansão considerável em termos de e-commerces, caixas eletrônicos, liquidez nas exchanges e listagens em mercados regulados.

Isso sem contar na própria tecnologia: Segwit melhorando escalabilidade do Bitcoin; Ethereum lançando smart contracts; Tecnologia da Ripple sendo utilizada por grandes bancos, entre outros. Existe uma imensidão de funcionalidades sendo desenvolvidas que certamente vão ajudar no aumento do uso de criptomoedas e consequente alta nos preços.

Como este tipo de queda impactou no passado?

O primeiro semestre de 2017 havia sido excelente pro Bitcoin, saindo de USD 980 para USD 2.960 (+200%). No mês seguinte o Bitcoin se desvalorizou fortemente, indo ao fundo de USD 1.870 (-37%) com temor sobre implementação do SegWit2X.

Repare a similaridade com o padrão atual: rally no início do ano, acomodação, crash. Quem foi corajoso ou simplesmente teve a frieza de comprar um pouco todo mês, independente da cotação, conseguiu ganhos de 400% em menos de 6 meses. 

Conclusão

O Bitcoin e as demais altcoins são ativos com grande volatilidade (variação de preço) cujas mudanças levam meses ou anos para se provar e ganhar escala. A Lightning Network do Bitcoin, por exemplo, segue em fase de testes desde o início de 2018. A migração do Ethereum para sua futura rede 2.0 está sendo planejada e implementada ao longo de 2 anos.

Quem vendeu sua posição em Julho de 2017 na queda mostrada no gráfico anterior deve estar arrependido até hoje. Foram diversos crashes de 30% e 40% ao longo da história, mas quando olhamos o gráfico num período mais longo estas oscilações desaparecem.

Independente de sua decisão durante este período de queda é importante ter em mente o potencial de longo prazo das criptomoedas. Isso não significa que todas as altcoins vão ter futuro ou mesmo que o Bitcoin irá ultrapassar os USD 20.000 já no próximo ano. Invista um valor de acordo com sua capacidade financeira e acima de tudo elabore um plano para comprar mais em períodos de queda.

Gostou das dicas desta semana? Assine a nossa newsletter e receba sempre conteúdos completos como este diretamente no seu e-mail! Deseja sugerir algum tema para a próxima semana? Utilize o campo de comentário abaixo que vamos adorar ouvir seu feedback.