Conheça 7 benefícios incríveis para investir em Bitcoin

Quem começou a investir em Bitcoin há alguns anos, ou mesmo no período recente, já percebeu que o investimento na criptomoeda tem vantagens que vão além da alta rentabilidade. É claro que o rendimento excepcional, superior a 1.300% só no ano passado, é o grande atrativo da aplicação.

Há, no entanto, outros benefícios que tornam esse investimento ainda mais interessante, como a facilidade em realizar transações de compra ou de transferência de valores com agilidade e segurança. Se você está em busca de bons motivos para começar a investir em Bitcoin, confira os 7 benefícios que detalhamos, neste post, para você!  

1. Diversificação da carteira de investimentos

O principal cuidado que todo investidor precisa ter é o de diversificar a carteira de investimentos. É muito importante direcionar seus recursos para diferentes modalidades de aplicações, com prazos e rentabilidades distintas. É essa prática que aumenta as chances de obtenção do retorno esperado. Além disso, protege o dinheiro investido contra possíveis perdas.

Se você investe apenas em ativos de renda variável está mais vulnerável, já que as oscilações são mais frequentes e maiores. Quem se opta apenas por instrumentos de renda fixa, tende a ter maior segurança, mas ganhos reduzidos. É importante observar, ainda, a liquidez. Ou seja, em quanto tempo é possível resgatar o investimento.

Títulos de renda fixa, por exemplo, costumam ter um prazo prolongado de retorno, não sendo aconselhável liquidar a aplicação antes do estipulado, pois isso reduz a rentabilidade. O que você tem que avaliar ao investir o seu dinheiro é, primeiro, se o seu perfil como investidor é conservador, moderado ou arrojado. Independentemente do seu apetite ao risco, você deve ter ativos tanto de renda fixa quanto de renda variada.

Um investidor conservador deve ter a maior parte das suas aplicações em renda fixa. Quem tem maior disposição a correr riscos, buscará mais ativos variáveis. O moderado deve equilibrar as duas modalidades, avaliando o risco e o retorno projetado. Investir em Bitcoin é uma excelente forma de incluir um ativo de renda variável na sua carteira de investimentos.   

2. Liquidez diária

Um dos aspectos importantes a observar quando se faz um investimento é qual é a sua liquidez. Isso é fundamental porque determina quando você poderá atingir o rendimento máximo do investimento. No caso da renda fixa, a liquidez é baixa e o resgate precisa ser feito no prazo estabelecido para que não haja nenhuma perda no ganho projetado.

Ativos de renda variável, como Bitcoin, têm uma liquidez maior. No caso da criptomoeda, a liquidez é diária. Assim, se você precisar resgatar o dinheiro investido pode fazer a qualquer momento, apenas vendendo suas moedas. O interessante é que essa autonomia permite ao investidor aproveitar melhor as variações de preços do ativo. Assim que se atinge um valor desejado, é possível liquidar a aplicação. 

Vale frisar que quando falamos na liquidez diária do Bitcoin estamos realmente dizendo que você pode movimentar a sua carteira todos os dias, sem exceção. No mercado financeiro, como as bolsas de valores, o funcionamento ocorre apenas nos dias úteis. Com criptomoedas não há restrição de dias ou horários para realizar as transações.

3. Alta rentabilidade

Quem comprou um Bitcoin em 17 de fevereiro de 2017 pagou US$ 1.053,12. Exatamente um ano depois, a unidade da moeda estava cotada em US$ 11.092,15. É um rendimento de quase 1.100%. Isso considerando que o investidor não tenha vendido o ativo na alta máxima, atingida em meados de dezembro de 2017, quando o Bitcoin passou dos US$ 19 mil. 

Você pode estar pensando que o fato de a moeda ter valorizado tanto no passado não significa que, necessariamente, essas altas se repetiram. É uma reflexão válida e que precisa ser aprofundada. Entretanto, a tendência é de alta. Tom Lee, o principal estrategista de Wall Street, a se dedicar ao Bitcoin, aposta que novos recordes de preços serão atingidos até meados de 2018. É dele, também, a previsão de que o Bitcoin chegará a US$ 25 mil em 2022.

Mas, afinal, o que justifica o otimismo? Um dos fatores interessantes do Bitcoin tem a ver com a demanda de moedas, limitada a 21 milhões de unidades. Quando esse patamar for atingido, as transações ficarão restritas a essa quantidade.

Quem quiser investir em Bitcoin terá que pagar o valor de mercado. E é aí que está o ponto crucial da valorização do ativo. O preço é determinado pela procura e pela oferta, sendo assim, quando a oferta é reduzida, o valor é elevado porque a tendência de que haja mais pessoas querendo em comprar.

4. Agilidade nas transações

É possível comprar, vender, transferir ou realizar compras com Bitcoin a qualquer hora e a qualquer momento. Basta acessar sua conta digital e movimentar valores. Simples assim! 

Ok, os bancos também têm o internet banking que permite realizar transações apenas acessando sua conta. Sim. A diferença é que o prazo de compensação é bem maior. A transferência de Bitcoins de uma carteira digital para outra é concretizada em até 20 minutos. Detalhe: sem restrição de valores.

A opção mais rápida entre instituições bancárias ocorre na transferência entre contas do mesmo banco, que pode levar até 30 minutos para ser concluída. Um TED cai em uma hora na conta do destinatário e o envio internacional leva até 3 dias úteis para ser compensado. Dependendo dos valores, os prazos e os meios para realizar a transação são diferenciados, já que a burocracia tende a ser maior.

5. Segurança

Um complexo sistema de processamento é o que possibilita a realização das operações do Bitcoin. Os processos são todos criptografados e encadeados em uma estrutura conhecida como blockchain, a cadeia de blocos (ou correntes de blocos).

O processamento dessas informações é conhecido como mineração e segue protocolos rígidos que garantem a autenticidade da transação e a tornam imutável. Isso quer dizer que uma vez concretizada a operação, ela não poderá ser modificada ou refeita novamente, evitando fraudes.

6. Privacidade

Esse mesmo método de processamento assegura que todas as transações sejam codificadas e registradas com chaves privadas. A origem do emissor e do receptor fica resguardada, já que a única disponível é o código. 

7. Custo reduzido

Para investir em Bitcoin seu custo principal será com as taxas cobradas pela exchange (corretoras que preservam as carteiras digitais). Em geral, não há tarifas para depósitos. As demais transações, como saques e operações de compra e venda, têm taxações que não chegam a 1% do valor. 

O que é preciso observar é a taxa de blockchain, que varia de acordo com a demanda de processamento e com o perfil da transação realizada. Quando o sistema está sobrecarregado ou quando você tem um histórico de operações em valores muito reduzidos essa taxa pode ser um pouco mais elevada. Mas, em geral, se você comparar os custos totais com os praticados por bancos e cartões de crédito verá que o Bitcoin tem valores bem menores.  

Investir em Bitcoin traz ainda mais benefícios porque as transações são realizadas por uma corretora de investimento, opção mais prática e rentável do que os serviços de investimentos oferecidos pelos bancos.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.