O final do mês sempre chega e, junto dele, muitas vezes uma grande surpresa. Isso acontece devido a falta de planejamento pessoal em relação a ganhos e despesas. 

As finanças pessoais interferem de forma direta na maneira que as pessoas encaram a vida. Ter uma dívida muito alta e não conseguir pagá-la traz muitas preocupações, deixando o cotidiano cansativo.

Ter um planejamento das finanças pessoais bem estruturado é muito importante para conquistar o sucesso financeiro e um pouco mais de tranquilidade no dia a dia. 

Para muitas pessoas, porém, é difícil se organizar por não saberem por onde começar ou por já possuírem tantas dívidas que parece não ser mais possível encontrar uma solução. Caso você se enquadre em um destes casos, este é o post certo. 

Continue a leitura e veja como o processo de organização financeira é possível, mesmo que não pareça simples. 

Coloque tudo na ponta do lápis

Caso você tenha tantas dívidas que não sabe mais o que fazer, comece colocando todas essas questões na ponta do lápis. Por outro lado, se você precisa apenas conseguir uma direção inicial, vá direto para o próximo passo. 

É impossível organizar algo imensurável, já que a todo momento pode surgir uma nova conta que desestruture todo o planejamento feito, por ser algo mais urgente. Por isso, confira quais são as dívidas que você possui, e seus valores. 

Anote tudo de forma respectiva, colocando a dívida, o valor e o número de prestações. Assim fica mais fácil visualizar e estipular o valor total que deve ser pago, além do tempo que você tem para realizar esses pagamento. Feito isso, vem a parte mais difícil: pare de adquirir novas dívidas e estabeleça um prazo para conseguir quitá-las de acordo com suas contas e seus recebimentos. 

Acompanhe seus recebimentos e despesas

Qual é o valor que você recebe mensalmente e qual é o seu gasto físico? É normal possuir mais despesas de saída do que de entrada.

Entenda que o valor recebido, geralmente é o salário, sendo essa a única fonte de entrada. Despesas no entanto, contam com pagamentos recorrentes, como contas de água e luz, telefonia e internet, alimentação e outras.

Saber exatamente quanto você tem disponível e quanto deverá ser pago é necessário para a realização de um bom planejamento. Pode acontecer de o dinheiro ser gasto com despesas variáveis de forma equivocada e as contas não fecharem ao final do mês. 

Saiba exatamente o quanto você ganha, entre salários fixos, freelancers, bicos e outros. Liste quais são as suas despesas e se planeje para os demais gastos.

Analise seus gastos

O interessante de listar os gastos é que você acaba percebendo a quantidade de serviços que você usa pouco ou nem usa mais e que ainda estão ativos e sendo pagos, assim como a quantidade de despesas desnecessárias e que consomem o seu dinheiro, quando colocadas na ponta do papel. 

Ao fazer isso, corte as despesas que são gastos inúteis, como a assinatura da TV à cabo que possui mais de 200 canais liberados enquanto você assiste sempre ao mesmo, ou acompanha um segmento específico. Com certeza haverá um plano que se adequa melhor às suas necessidades.

Planeje suas despesas

Estabeleça valores a serem gastos e guardados ao invés de ficar contando com “sobrar dinheiro”, para realizar algo. 

A verdade é que se não há um planejamento, o dinheiro não sobra, independente do valor do salário. 

Faça o dinheiro sobrar ao invés de esperar que isso aconteça. Determine valores a serem guardados e os encare como uma despesa fixa.

É interessante ter um local separado para a destinação desse dinheiro, de forma que ele saia da sua conta corrente, como, por exemplo, investimentos de baixo risco

Desenvolva o hábito de anotar tudo

Seja através de aplicativos, bloco de notas, planilha, ou agendas de papel, as anotações são de grande importância para a visualização de seus gastos. Desenvolver esse hábito permitirá que você veja onde estão os gastos supérfluos e com o que você tem gastado mais os seus recursos.

Prepare-se para despesas inesperadas

Saiba que a qualquer momento podem acontecer imprevistos e é necessário estar preparado para não passar sufoco. 

Reserve parte da sua renda para arcar com gastos inesperados. É importante ter em mente que esse valor é realmente para emergências. Não caia na ilusão de que por nada estar acontecendo, não é necessário reservar um valor, muito menos que você pode usar o valor guardado para outros fins. 

O controle financeiro requer muito compromisso e equilíbrio, por isso, tenha em mente o seu foco e não desvie dele. 

Essas são algumas dicas para retomar o seu controle financeiro e parar de se surpreender com as despesas no final do mês.

Veja também a importância da educação financeira e entenda por que ela é necessária para a realização de um melhor planejamento.