Abrir um negócio exige dedicação, força de vontade, muito trabalho e organização, principalmente, financeira. Mas, como organizar as finanças pessoais para abrir um negócio? 

Esse é o assunto deste artigo. Reunimos as principais dicas de como começar o próprio negócio a partir da organização financeira. Afinal, é ela quem vai garantir que você terá capital suficiente para pagar suas despesas, arcar com compromissos financeiros como pagamento de fornecedores, aluguel e salários, bem como investir em marketing e outras ações. 

Entre todas as fórmulas mágicas que você pode encontrar, nós organizamos seis dicas simples e que todo mundo pode colocar em prática sobre como organizar as finanças pessoais: 

  1. Separe as suas contas pessoais das contas da empresa,
  2. Organize um planejamento e orçamento empresarial,
  3. Calcule a necessidade de capital de giro, 
  4. Considere fazer um empréstimo empresarial seguro, 
  5. Faça o controle do fluxo de caixa, 
  6. Crie uma reserva de emergência.

Confira, abaixo, o passo a passo para aplicar tudo isso!

Como organizar as finanças pessoais: 6 dicas práticas

Aprender a economizar dinheiro para começar a investir em um novo negócio é um passo importante, feito nas fases iniciais do trajeto até o seu objetivo. 

Mesmo que pessoa física e jurídica sejam separadas, ter uma certa organização pessoal é fundamental para que você tenha segurança de iniciar uma empresa.

Aprender como organizar as finanças pessoais é um passo importante para que você possa realizar seus sonhos, entre eles o de começar o próprio negócio. 

A seguir, listamos seis dicas práticas de como realizar esse planejamento financeiro pessoal e profissional da maneira ideal, para que você crie uma empresa de sucesso e com muitos anos de vida. 

1. Separe as suas contas pessoais das contas da empresa

O primeiro e mais comum erro de empreendedores que iniciam um novo negócio é misturar as contas da empresa com as suas contas pessoais. 

Principalmente para quem trabalha sozinho esse é um erro comum, mas que pode ser fatal. 

Quando a sua empresa passa a pagar a sua conta de água, luz, internet e até o cartão de crédito você perde o controle sobre o lucro e as despesas da empresa,  além de atrapalhar os balanços e o acompanhamento do fluxo de caixa empresarial.   

Converse com qualquer contador e ele falará que você não deve misturar a pessoa física com a jurídica. A dica é seguir o conselho do especialista!

Defina um salário para você e organize suas contas dentro desse montante. Na data correta do mês faça a transferência do seu salário para uma conta pessoal para separar oficialmente suas despesas e receitas. 

2. Organize um planejamento e orçamento empresarial

Se você está começando um negócio é importante que faça um planejamento financeiro empresarial que considere qual montante será necessário para cada área da sua empresa. Por exemplo, o valor do aluguel , maquinário, compra de matéria prima ou produtos para venda e mais. 

Tudo isso vai ajudar você a entender qual será o capital inicial necessário para colocar sua empresa de pé. 

Com os valores em mãos fica mais fácil entender como organizar as finanças pessoais para iniciar sua empresa, principalmente, se você for o seu principal “investidor”. 

Transforme o valor do capital inicial em uma meta para te ajudar a investir e economizar suas finanças pessoais. 

3. Calcule a necessidade de capital de giro

Além do capital inicial, toda empresa precisa de capital de giro. O capital de giro é o valor necessário para manter sua empresa operando dentro de um período de tempo, por exemplo, um mês. 

Ao considerar como organizar as finanças pessoais para iniciar um negócio, você não pode deixar de lado o cálculo do capital de giro, afinal, nos primeiros meses da empresa é muito difícil que ela gere receita suficiente para arcar com todas as despesas. 

E é o capital de giro que vai te ajudar a cobrir as despesas e manter sua empresa funcionando. 

Geralmente, nos primeiros meses, o capital de giro também vem do capital do empreendedor e deve ser calculado juntamente com o capital inicial necessário. 

Por isso, aprender como calcular a necessidade de capital de giro é, sem dúvida, necessário para quem deseja começar o próprio negócio de maneira organizada. 

4. Considere fazer um empréstimo empresarial seguro

Com os cálculos feitos muitos empreendedores sentem a necessidade de dar um passo para trás, afinal, o investimento pode ser maior do que o esperado.

Se esse é seu caso, você pode considerar um empréstimo empresarial ou iniciar um negócio com menos investimento e, depois de um período de operação, investir na ampliação da empresa, também por meio de um empréstimo para capital de giro. 

Entretanto, a decisão por um empréstimo deve ser tomada com os pés no chão e muita organização para que você não entre em uma “furada” e acabe se enrolando com uma dívida que não é capaz de pagar. 

Saber quando fazer um empréstimo é importante para garantir que ele virá da maneira correta. 

5. Faça o controle do fluxo de caixa

Com a empresa em funcionamento, o fluxo de caixa será um dos seus melhores amigos. Controle todas as entradas e saídas para poder analisar contas que podem ser reduzidas e onde fazer o corte de gastos. 

Mantenha uma política de corte de gastos eficiente para que você se mantenha ampliando a margem de lucro. Lembre-se que para isso não basta ampliar o faturamento, mas também reduzir os gastos. 

6. Crie uma reserva de emergência

Criar uma reserva de emergência é uma etapa importante de como organizar as finanças pessoais e empresariais. 

Ela é muito importante para oferecer a segurança necessária ao seu negócio e também para você. Em situações de adversidade, a reserva de emergência permite que você continue arcando com os custos fixos de negócio e se organize financeiramente com mais calma. 

Para entender o que é e como montar a sua reserva de emergência e também a reserva da sua empresa, confira o vídeo abaixo. 

E aí, gostou das nossas dicas de como organizar as finanças pessoais? Já sabe o que fazer para realizar o sonho do negócio próprio? Esperamos ter te ajudado. 


Artigo produzido por Gyra+, uma plataforma de democratização do crédito que realiza empréstimo online seguro com taxas customizadas, para empreendedores digitais em busca de capital de giro.