Quando falamos em criptomoedas, o Bitcoin definitivamente é a mais lembrada. Porém, há alguns anos surgiu outra possibilidade mais acessível financeiramente e também com ótimos rendimentos. Estamos falando dos Ethers, a moeda usada na plataforma Ethereum e que já possui até mesmo sua própria carteira Ethereum. Criada no final de 2013, ela é considerada por alguns como uma evolução do Bitcoin, justamente por usar da tecnologia da Blockchain, que nasceu junto com o Bitcoin. 

Se você quer começar a investir em Ethers, precisa pensar também em montar uma carteira Ethereum. Por isso, entender exatamente como esse carteira funciona e quais as melhores opções é de suma importância. Continue lendo este artigo e saiba tudo sobre o tema!

O que é Ethereum?

Ethereum é uma plataforma desenvolvida pelo programador Vitalik Buterin em 2013. Ela nasceu para fazer funcionar as diversas aplicações ideais de Blockchain: financiamento coletivo, contratos inteligentes, organizações autônomas e demais aplicações descentralizadas, por exemplo. Hoje o Ethereum é a segunda criptomoeda com maior capitalização do mercado.

Além disso, o Ether (moeda da plataforma) também é usado para financiar a mineração e pagar os contratos inteligentes. As transações na Ethereum funcionam do mesmo modo com o Bitcoin, ou seja, todas as ações e aplicações são registradas no Blockchain e é sempre interessante investir em uma carteira Ethereum.

Para assegurar que os registros do Ethereum são verdadeiros, os usuários precisam minerar blocos com o mecanismo de prova de trabalho (PoW), oferecendo seu poder de processamento para resolver problemas criptográficos complicados. Em contrapartida, eles são recompensados com Ether (ETH). Atualmente existem mais de 97 bilhões de ETH, sendo que esse número aumenta a cada segundo.

Diferentemente do Bitcoin, contudo, o Ethereum não tem um limite de mineração, porém a velocidade de mineração é decrescente – e isso torna o processo cada vez mais difícil. 

Desde a sua criação, a plataforma tem crescido muito, especialmente entre programadores, empreendedores e pesquisadores que desejam criar soluções reais usando Blockchain e a tecnologia Ethereum. 

Segurança

É importante salientar que o Ethereum é tão seguro quanto o Bitcoin, pois utiliza o mesmo consenso e rede distribuída do Bitcoin, de forma a garantir a segurança do seu sistema. Isso significa milhares de computadores distribuídos ao redor do mundo, sendo impossível ocorrer um só ponto de falha.

Diante disso, muitas pessoas afirmam que o Ethereum é uma das mais seguras criptomoedas do mundo. Mas isso, claro, desde que as suas moedas sejam armazenadas de forma segura, em uma boa carteira Ethereum, como explicaremos mais adiante.

Ether

Enquanto o Bitcoin tem como propósito ser usado como moeda, o foco do Ethereum é outro: permitir a programação de aplicações descentralizadas e contratos inteligentes. Assim, o Ether é usado como uma moeda capaz de comprar poder computacional no computador mundial, que é a plataforma Ethereum.

Quais as vantagens de investir nessa criptomoeda?

Se você ainda não sabe em qual criptomoeda investir, confira algumas vantagens do Ethereum.

Apesar de tudo o que explicamos, ainda não está claro porque investir em Ether? Veja as vantagens importantes que separamos.

Rapidez nas transações

Outra vantagem do ETH em relação ao Bitcoin é a rapidez nas transações. Muitos investidores de Bitcoin tem reclamado sobre o colapso da rede que forçou algumas pessoas a pagarem taxas mais altas de transferência.

No Ethereum isso não acontece porque os custos de transferência da plataforma são de apenas alguns centavos e o tempo de confirmação médio é de 30 segundos.

Facilidade para minerar

A mineração no Ethereum é mais simples e um pouco mais acessível, sendo necessário, basicamente, investir em placas de vídeo e instalá-las no computador. Ainda que as atividades de mineração exijam conhecimentos técnicos, o custo da mineração é um pouco menor, já que o hardware exigido é relativamente mais barato.

Evolução rápida

Uma das características mais interessantes do Ethereum é o fato de a moeda estar em franco crescimento!

O Ethereum nasceu em 2013, porém seu crescimento tem sido constante nos últimos anos. Isso pode ser percebido especialmente pelo seu aumento de valor. Há alguns anos, o ETH custava apenas 8 dólares, hoje esse valor está acima dos 300 dólares.

Além disso, os especialistas na área acreditam que a plataforma esteja apenas no começo – o que significa que seu desempenho tenderá a melhorar nos próximos anos. Por isso, já comece a pensar em montar a sua carteira Ethereum.

Adoção comercial

Nos últimos anos, o número de empresas e exchanges que veem o Ethereum como uma oportunidade econômica aumentou. Além disso, os serviços de câmbio que tradicionalmente operam com Bitcoin também passaram a aceitar ETH como uma moeda de compra e venda.

Programação amigável

A Blockchain Ethereum apresenta um ambiente amigável, pois oferece aos programadores e desenvolvedores mais oportunidades para a criação de novos aplicativos, o que permite que a criptomoeda seja usada para conceitos de monetização.

O que é uma carteira Ethereum?

Já está convencido a investir em ETH? Então você precisa começar a pensar na sua carteira Ethereum. Ela nada mais é um do que um ambiente seguro onde você poderá armazenar os seus Ethers.

Essencialmente, podemos entender a carteira como um software que permite armazenar seus fundos, realizar transações e verificar seu saldo sempre que você quiser.

É importante destacar, contudo, que uma carteira Ethereum não funciona exatamente como uma carteira física. Isso porque o Ether não é armazenado na sua carteira (ou em qualquer outro lugar). Afinal, como qualquer criptomoeda, ele não existe em nenhuma forma tangível. O que existe são registros no Blockchain. Assim a sua carteira Ethereum apenas irá interagir com o Blockchain para permitir as transações.

Seu funcionamento não é muito complexo. De uma forma geral, as carteiras de criptomoedas contam com endereços públicos, que são linhas (strings) de letras e números geradas de maneira aleatória e que diferenciam minúsculas e maiúsculas.

Assim, caso alguém queira lhe enviar um Ether, a moeda será enviada para o seu endereço (também chamado de chave pública), transferindo a propriedade do Ether. O que fica armazenado na sua carteira é a chave privada, uma senha usada para assinar as transações e desbloquear as moedas compartilhadas.

Logicamente, para evitar roubos, é indispensável manter muito bem segura a chave privada. Também é válido lembrar que tanto a chave pública como a privada são emparelhadas –  ou seja, para realizar qualquer transação é preciso que ambas as sequências se correspondam.

Como montar a minha carteira Ethereum?

Existem alguns tipos de carteira Ethereum, alguns online e conectados com todo o mundo e alguns offline e, talvez, mais seguros.

Existem basicamente duas possibilidades: montar a sua própria carteira Ethereum ou utilizar uma carteira de terceiros. A maneira mais fácil de armazenar seu ETH é usando a carteira de terceiros, por exemplo, a fornecida por uma casa de câmbio.

A grande vantagem é que você terá um acesso mais simplificado aos seus fundos, além de que, ao manter os tokens na casa, será mais simples acelerar os processos de negociação.

Porém, é importante lembrar que nesse caso quem armazena as chaves privadas é o terceiro. Por isso, é imprescindível encontrar uma carteira que seja muito segura.

Outra opção é criar a sua própria carteira pessoal, o que significa que somente você terá controle sobre sua chave privada e também aos seus fundos. A maneira mais simples de fazer isso é usando o serviço oficial de carteira Ethereum, o MyEtherWallet.

Além dele, existem outras possibilidades como: Exodus (disponível apenas para computadores, mas com um design bem acessível),  Jaxx (aceita vários tipos de criptomoedas e é gratuita, assim como a MyEtherWallet) e MetaMask (carteira que funciona na web, como extensão do navegador).

De uma maneira geral, existem dois tipos de carteira digital que são:

Para diferenciá-las, podemos entender a hot wallet como se fosse a sua conta corrente, pela qual você poderá realizar as transações com mais velocidade e facilidade. Já a cold wallet seria como a poupança ou outra aplicação financeira (mas sem o rendimento). Ou seja, você coloca nessa carteira o dinheiro que não usará no dia a dia e precisará de um acesso físico para sacar o valor.

Cada uma possui suas vantagens e desvantagens. A cold wallet oferece mais segurança, pois como não é um programa conectado à internet é impossível de ser hackeada. Mas também é mais difícil de ser usada.

Já a hot wallet tem como vantagem a facilidade de uso, já que ela pode ser acessada de qualquer lugar e a qualquer horário para realizar diversas transações, como a compra e venda de criptomoedas ou envio para terceiros.

Independentemente da carteira Ethereum escolhida é importante ficar de olho em alguns pontos como: segurança, acessibilidade, usabilidade e preço.

Conheça a BitcoinTrade

Fundada em 2017, a BitcoinTrade é considerada a plataforma mais segura de moedas digitais da América Latina, se colocando como uma das líderes do mercado nacional em volume negociado mensalmente. A empresa também oferece possibilidades de investimento em ETH e carteira Ethereum.

Como você viu, o ETH é mais uma opção de criptomoeda que oferece vantagens interessantes, especialmente para quem ainda não dispõe do valor necessário para investir em Bitcoin, ou deseja conhecer outras alternativas de moedas digitais.

Se você quer começar a investir em ETH e deseja montar a sua carteira Ethereum, que tal aprender ainda mais sobre o assunto? Conheça nosso blog e fique por dentro do universo das criptomoedas!

Conheça a BitcoinTrade