Bitcoin é seguro?” é uma das principais perguntas que surgem na mente de pessoas que têm interesse em comprar e minerar Bitcoins. Afinal, essa alternativa tem grandes particularidades que geram receio em quem está começando nesse mercado – receio esse que acaba afastando muitos investidores em potencial dos ganhos que a chamada “moeda do futuro” pode trazer. No entanto, é possível afirmar que boa parte dessa apreensão é desnecessária. 

Os especialistas da área confirmam que o Bitcoin é uma das moedas mais seguras do mundo, graças à tecnologia Blockchain, um sistema revolucionário, baseado na transmissão de informações por meio de uma cadeia de blocos de informação que assegura a confiabilidade das transações.

Outra característica que torna possível afirmar que o Bitcoin é seguro é a sua descentralização, ou seja: ele não é regulado por instituições como governos ou bancos. Por isso, não há o risco de seus ganhos em Bitcoin serem retidos em caso de crise como aconteceu em 1990, quando o dinheiro contido na poupança de diversos brasileiros foi confiscado. 

Apesar disso, é de extrema importância que o investidor informe-se sobre os possíveis riscos e golpes envolvendo essa criptomoeda e tome outras medidas de segurança, especialmente escolhendo muito bem a plataforma de exchange e a forma que armazenará sua criptomoeda. Dessa forma, será possível proteger seus ganhos e colher bons frutos a partir desse investimento. 

Quer entender melhor todos esses pontos e descobrir de uma vez por todas se Bitcoin é seguro? Continue a leitura!

Como funciona o mercado de Bitcoin?

Antes de concluirmos se Bitcoin é seguro ou não, é preciso compreender exatamente o que essa criptomoeda representa e como funciona o seu mercado.

Embora essa criptomoeda ainda não seja reconhecida oficialmente, já é possível realizar uma série de transações com Bitcoin – e também existe cotação na Bolsa de Valores para essa moeda.

Como o Bitcoin não é impresso, ele não passa pelo controle de nenhum banco ou governo, sendo considerado uma moeda descentralizada. O seu “surgimento” acontece pelo que chamamos de “mineração”. 

De maneira simplificada, a mineração pode ser entendida como um desafio matemático entre todos os computadores situados na rede. O primeiro usuário a encontrar a solução é remunerado com Bitcoins. No geral, esses processos são bem complexos e demandam um alto nível de processamento.

Além da mineração, também é possível comprar Bitcoins ou trocá-los por meio de plataformas de exchange. Essa é, inclusive, uma das formas mais usadas para quem deseja investir na criptomoeda sem precisar gastar muito tempo se aprofundando nos pormenores da mineração.  

Nesse segundo caso, a ideia é comprar a moeda quando seu preço estiver menor, esperar a valorização e depois vendê-la a um preço superior. Dessa forma, você terá como ganho o valor de venda menos o valor de compra.  

Outra maneira de ganhar dinheiro com Bitcoin é realizando empréstimos para empresas por meio de plataformas destinadas a esse objetivo.

Por fim, um último ponto que deve ser explicado é sobre o Bitcoin em si. Ao contrário das moedas tradicionais, ele é uma moeda virtual, ou seja, só existe na internet e, por isso, todas as suas transações são feitas de forma online, em um ambiente digital e criptografado. Inclusive, a criptografia é responsável por aumentar a segurança dessa moeda (falaremos mais sobre isso adiante).

Apesar de o Bitcoin ser tratado como um investimento graças à sua alta rentabilidade, na verdade ele é uma criptomoeda. Sendo assim, a transação é similar à compra de qualquer moeda digital. 

Como o valor do Bitcoin é definido? 

Apesar de não ter o seu valor de mercado influenciado pelos mesmos fatores que uma moeda fiduciária, o valor do Bitcoin está suscetível às mudanças na(o): 

É seguro comprar Bitcoins?

Agora que você já entendeu um pouco melhor como funciona a criptomoeda, podemos debater se Bitcoin é seguro. De maneira geral, já podemos adiantar que sim, a moeda virtual é muito mais segura e confiável do que as moedas tradicionais, especialmente graças à criptografia e o blockchain. Porém, como todo tipo de investimento, é sempre fundamental tomar alguns cuidados. Para te dar uma visão geral desses pontos, explicamos cada um deles abaixo. 

Blockchain

Uma das principais razões pelas quais muitos afirmam que o Bitcoin é seguro é a tecnologia de blockchain. De uma forma simplificada, podemos entender o blockchain como um “local” onde todas as informações de transações realizadas com as moedas virtuais ficam armazenadas. 

Esse arquivo é acessível a todos os usuários do sistema, o que se traduz em mais transparência para as operações. Porém, diferentemente de outras transações com moedas tradicionais, todas essas movimentações ficam armazenadas em blocos de dados criptografados. 

Dessa forma, um usuário brasileiro, por exemplo, poderá ter acesso a informações sobre negociações entre usuários chineses e italianos, porém sem visualizar dados sensíveis como nome completo e endereço. Mas a existência da transação ficará armazenada no blockchain por tempo indeterminado.

Além disso, o sistema não permite que nenhum usuário desfaça as transações ou realize alterações. Isso significa que, caso você se arrependa de realizar alguma negociação, não terá como voltar atrás depois de realizada a transação. Isso também protege as pessoas que fornecem produtos e serviços de terem seu pagamento cancelado. 

A tecnologia blockchain é considerada um dos principais avanços do Bitcoin em relação às demais moedas, e é também o que permite que ela seja desenvolvida no ambiente virtual de uma maneira mais segura. Não à toa, coloca-se o blockchain como uma das possibilidades de evolução do mercado financeiro.

Criptografia

Outro ponto bastante importante na hora de explicarmos por que é possível afirmar que o Bitcoin é seguro é a criptografia. Como falamos ao longo deste conteúdo, todas as transações realizadas com a moeda virtual são criptografadas. Isso quer dizer que existe um sistema de códigos (complicado e difícil de ser decifrado) que garante a proteção das transações e a segurança da identidade de cada usuário.

Embora isso não seja tão inovador, já que até as lojas virtuais utilizam criptografia como segurança de dados, a grande sacada do sistema é a interligação dos blocos do blockchain por meio de um hash (função usada para garantir mais segurança), o qual é criado conforme as informações do bloco atual e seguinte, interconectando ambos.  

Ou seja, se a informação dentro de um bloco for alterada, se houver uma tentativa de roubo de Bitcoins ou algum outro tipo de fraude, o hash se tornará inválido, fazendo com que os blocos não possam ser interligados. Isso levantará um alerta para os mineradores que passarão a não validar mais aquela transação.

É por isso que a forma de criptografia utilizada pelo blockchain é considerada à prova de fraudes, aumentando ao máximo a dificuldade de lavar dinheiro ou realizar transações fraudulentas, por exemplo. Sem contar que, por sua complexidade, até o momento, ninguém foi capaz de criar grandes fraudes nesse sistema. 

Transações com chaves privadas

Se você ainda está se perguntando se Bitcoin é seguro, saiba que a transferência de Bitcoins de uma carteira para outra é feita por meio de um sistema de chaves, o que aumenta ainda mais a segurança do sistema.

Basicamente, toda carteira de Bitcoin mantém uma informação secreta chamada de “chave privada” (ou de semente). Essa chave é usada para assinar as transações, o que fornece uma prova matemática de que a ação foi realmente executada pelo dono da carteira.

A assinatura ainda previne que a transação seja alterada por outro usuário após ter sido emitida. Depois de realizadas, as transações são divulgadas para todos os usuários do blockchain e começam a ser confirmadas nos próximos 10 minutos pelo processo de mineração.

Mineração

Como comentamos anteriormente, uma das maneiras de conseguir Bitcoin é por meio da mineração. Esse mesmo processo também é um dos pontos essenciais para a segurança da criptomoeda.

A mineração é um sistema de consenso distribuído que confirma as transações e passa a incluí-las no blockchain. É esse processo que estipula uma ordem cronológica nas transações, protege a neutralidade da rede e permite que diferentes computadores concordem sobre o estado do sistema.

Assim, para que as transações sejam confirmadas, elas precisam ser incluídas em um bloco e verificadas pelos usuários da rede por meio de regras criptográficas. São essas regras que previnem a alteração de blocos antigos e a invalidação dos hashes explicados anteriormente, no tópico criptografia. 

Investir em Bitcoin é seguro? Quais são os riscos?

Como você viu no tópico anterior, a estrutura de funcionamento do Bitcoin é muito segura, sendo que a tecnologia do blockchain foi um dos principais avanços trazidos por essa criptomoeda e se coloca como um futuro viável para todas as demais transações financeiras, impedindo ações de lavagem de dinheiro e outras fraudes.

Por isso, apesar de ter alguns riscos envolvidos, podemos, sim, afirmar que investir em Bitcoins é seguro, especialmente em comparação às ameaças que as moedas centralizadas sofrem, como inflação e confiscamento. No entanto, por menores que sejam, vale explorarmos, também, alguns dos principais riscos que rodeiam o universo dos Bitcoins: 

Descentralização

Como a moeda virtual existe apenas na internet, ela não é emitida e nem controlada por nenhum órgão governamental ou banco central. 

Ainda que isso possa ser visto como uma vantagem para algumas pessoas (já que não há como emitir mais moedas do que o permitido pelo sistema, evitando a desvalorização acentuada, por exemplo), essa situação também pode trazer alguns riscos.

Isso porque não existem legislações nem regras específicas a respeito do Bitcoin, o que cria um ambiente de negociação mais inseguro e contribui para aumentar o risco do investimento.

Lei da oferta e da procura

O Bitcoin é confiável, mas, assim como em qualquer investimento, existem algumas variáveis que podem alterar seu valor consideravelmente. 

Já que ele não é emitido nem regulado por nenhum banco central, sua valorização se dá, basicamente, pela lei da oferta e da procura. Isso pode gerar uma oscilação muito grande do valor moeda, já que existem vários fatores que podem desestabilizar essa balança, desvalorizando significativamente a criptomoeda de um dia para o outro.

Esse risco pode, particularmente, ser transformado em uma uma oportunidade, ao adquirir a moeda em um momento de ampla queda do valor de compra e vendendo-a no momento de maior alta. 

Hackers são improváveis, porém possíveis

Embora a tecnologia da blockchain utilizada no manuseio de Bitcoins seja extremamente segura – e até hoje não tenha sofrido com nenhuma invasão de hackers –, essa é sempre uma possibilidade quando estamos falando do ambiente digital. 

No entanto, para se manter mais protegidos dessa possibilidade específica, muitos investidores optam por manter seus Bitcoins em um cold storage. Ou seja, em um hardware desconectado da internet que pode ser colocado em um cofre ou outro local seguro.

Outras criptomoedas

E, claro, ainda há a questão da “concorrência”. Afinal, existem outras moedas virtuais surgindo e crescendo, como a Ethereum Classic, a XRP e a Dogecoin, três altcoins que apresentaram alta rentabilidade no primeiro semestre de 2021. O comportamento dessas diferentes criptomoedas pode influenciar o valor do Bitcoin, visto que o preço dele varia conforme a oferta e a procura, que pode ser impactada pela existência (ou não) de alternativas atraentes no mercado. 

Apesar de todos esses pontos, investir em Bitcoin ainda é considerada uma opção segura e interessante, porque apresenta: 

Como se prevenir e tornar o seu investimento em Bitcoin ainda mais seguro?

Por fim, a melhor maneira de tornar o seu investimento em Bitcoin mais seguro é tomando alguns cuidados e atitudes simples, porém eficazes. A partir deles, você poderá evitar cair em armadilhas e golpes que podem surgir ao longo da sua jornada com essa rentável criptomoeda. 

Confira, abaixo, algumas das principais dicas para quem está começando: 

Informe-se e estude sobre o mercado de criptomoedas

A primeira e principal dica para quem está começando é, sem dúvida, estudar e conhecer muito bem o mercado. Como esse ainda é um setor muito novo e repleto de particularidades, é essencial entendê-lo profundamente para evitar erros de principiante. 

Já existe muito material de qualidade disponível gratuitamente na internet. Além deles, você poderá conversar com outros investidores e também assistir a cursos online, palestras e receber orientações das plataformas que trabalham com compra e venda de Bitcoins.

Escolha uma boa plataforma

As plataformas de exchange costumam ser as melhores alternativas para você comprar e vender Bitcoin. Isso porque elas são mais seguras e oferecem preços mais atrativos do que as casas de câmbio, que cobram taxas bem altas em cima das suas negociações.

Mas é claro que você deverá procurar por uma plataforma que tenha experiência, conhecimento e bons resultados no setor. As melhores empresas oferecem orientação, guias, informações atualizadas e dicas importantes aos seus investidores, ajudando-os a conseguirem bons resultados e a entenderem melhor o mercado das criptomoedas.

Sua carteira virtual merece atenção especial

Um dos recursos que você pode usar para tornar o investimento em Bitcoin mais dinâmico é a utilização de uma boa carteira virtual. As carteiras virtuais são indispensáveis para quem deseja realizar transações financeiras com Bitcoins ou ainda comprar, vender e trocar as suas moedas virtuais.

Para ter uma experiência mais segura nesses ambientes, é essencial tomar algumas precauções. Uma delas é usar as carteiras para realizar backups das suas chaves privadas, evitando perdê-las em caso de pane no seu computador. Também é recomendado usar alguns backups offline, além de escolher senhas mais complexas. Além desses cuidados, é importante reforçar que as chaves correspondentes aos seus Bitcoins não devem ser transmitidas a outras pessoas em hipótese alguma. 

Seja cauteloso

Você já viu que investir em Bitcoin é seguro na maior parte dos casos, porém continua sendo uma opção relativamente volátil. Por isso, os investidores iniciantes devem agir com cautela, começando com investimentos mais baixos e evitando comprometer o seu patrimônio.

Mesmo quando o assunto é comprar Bitcoins, vale considerar ter uma reserva de emergência na moeda do local onde você mora. Essa reserva deve ser de fácil resgate e servirá para te proteger no caso de algum contratempo. 

Outra dica seguida por muitos compradores e mineradores de Bitcoin é diversificar a carteira de criptomoedas. Dessa forma, será possível aumentar seus rendimentos, reduzir os riscos e preservar seu patrimônio.

Fuja de grandes promessas

Enquanto o mercado de criptomoedas pode trazer ganhos consideráveis, ele também sofre com a ameaça de indivíduos mal intencionados que buscam se aproveitar dos objetivos e ambições de quem está começando nesse mercado. Por isso, se você se deparar com um site ou pessoa afirmando ser possível ter ganhos incríveis em pouco tempo, muito provavelmente você estará cara a cara com uma grande cilada. 

O ideal é se afastar e não deixar grandes promessas moverem as suas decisões. Aqui o assunto é seu patrimônio, e todo cuidado é pouco para garantir a segurança dele. Opte sempre por plataformas conhecidas no mercado e que tenham propostas mais realistas para a sua compra ou mineração de Bitcoins. Assim sua experiência em longo prazo poderá ser mais rentável e menos frustrante. 

Afinal, investir em Bitcoin é seguro? 

Como você viu até aqui, a tecnologia blockchain oferece uma série de proteções contra alterações e fraudes nas transações feitas digitalmente com criptomoedas. Contudo, assim como qualquer investimento, a moeda virtual também possui riscos – e é importante conhecê-los muito bem para poder se prevenir contra eles.

Por fim, vale lembrar que escolher adequadamente a plataforma parceira é de suma importância. A BitcoinTrade é uma alternativa confiável, sendo considerada uma das mais seguras plataformas de moedas digitais da América Latina e estando entre as líderes nacionais em volume negociado mensalmente.

Investir em Bitcoin é seguro quando você toma os devidos cuidados. Nós podemos te ajudar nisso, então se você quer começar a investir em Bitcoin ou em outras moedas virtuais, fale conosco!

Redator | BitcoinTrade

Breno tem mais de 12 anos de experiência com Marketing Digital. Já passou por grandes varejistas tradicionais e em 2017 se apaixonou pelas criptomoedas. Hoje é responsável pelas estratégias de comunicação e aquisição de novos clientes na BitcoinTrade.