Essa é uma das grandes “pegadinhas” da economia, pois o Federal Reserve (FED) dos EUA, diferente dos Bancos Centrais, é um órgão apartado do governo, e mesmo assim tem o poder de criar moeda.

Calma, vamos explicar mais adiante de forma mais clara essas diferenças. Primeiro precisamos entender qual a função de um Banco Central, Tesouro Nacional, e a tal “Taxa Básica de Juros”.

Você pode até achar o assunto tedioso ou irrelevante na sua vida, mas infelizmente são esses órgãos que determinam os rumos de curto prazo da economia.

Afinal, como o FED e os Bancos Centrais atuam? Qual a diferença básica para o Banco Central? Como isto impacta no Bitcoin?

Vamos entender como chegamos até aqui para tirarmos uma conclusão mais acertada acerca da economia. A BitcoinTrade, mais uma vez, busca trazer conteúdo de qualidade, que tenha um impacto real na sua tomada de decisão de investimento. Siga a leitura conosco!

Bancos Centrais

Usualmente trata-se de um órgão do Estado cuja função principal é garantir o bom funcionamento da economia. Para isto, contam com três instrumentos básicos: 

O Banco Central atua efetivamente como um “banco” do governo, por exemplo, responsável pelo armazenamento e gestão das reservas internacionais. Ao mesmo tempo, a emissão moeda circulante é de sua responsabilidade.

Por último, O Banco Central atua como regulador, fiscalizador e garantidor do Sistema Financeiro Nacional. Evitar falências que possam ter grande impacto, realizar empréstimos emergenciais e administrar as exigências de capital dos bancos estão entre suas funções básicas.

Tesouro Nacional

É a Secretaria do Governo Federal responsável por administrar, contabilizar e auditar o caixa dos cofres públicos. A maior fonte de receita são impostos, pagos por pessoas físicas e jurídicas, mas também entram nesta conta o pagamento de dívida por parte dos Estados e municípios.

Embora em alguns países seja possível a emissão e distribuição de Títulos da dívida diretamente por Estados e municípios, atualmente no Brasil esta função foi designada exclusivamente ao Tesouro, através de Títulos da Dívida Pública.

O Tesouro Direto, por exemplo, disponibiliza a negociação inúmeros Títulos da Dívida Pública, sejam eles prefixados ou pós-fixados, atrelados à Selic ou à algum indicador de inflação.

Este endividamento pode ser realizado de forma interna, emitindo Títulos em moeda local, ou externa, levantando recursos em outras moedas. 

COPOM

Comitê de Política Monetária (COPOM) é um órgão recente no Brasil, criado em junho de 1996. Seu objetivo é dar um pouco mais de independência para o cumprimento das diretrizes de política monetária.

Participam deste comitê o Presidente do Banco Central do Brasil, além de membros de sua Diretoria Colegiada e alguns chefes de departamento do Banco Central.

As metas de inflação são definidas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que regula os mercados de capitais e supervisiona as reservas estrangeiras. Este Conselho é composto pelo Ministro da Economia, o Secretário Especial de Fazenda, além do Presidente do Banco Central.

Cabe ao COPOM a definição da Taxa Básica de Juros, a Selic, de forma a seguir as metas de inflação definidas pelo CMN. Esta decisão da Selic é realizada através de reuniões periódicas, embora eventualmente possam intervir de forma emergencial em ocasiões específicas.

Diferenças do Federal Reserve

Acredite se quiser: as decisões do FED não precisam passar pelo Congresso ou Senado. No entanto, é necessário dar satisfação e continuar mostrando um serviço benéfico a fim de manter o poder garantido pela Constituição.

O Presidente e Vice-Presidente do Conselho do FED são escolhidos pelo Presidente dos EUA, e devem ser sabatinados pelo Congresso. Apesar de ser uma entidade privada, o lucro do FED vai para o governo.

Ao contrário do Banco Central do Brasil, o FED é composto por 12 entidades regionais, além de incluir representantes de bancos privados dos EUA. 

Outra diferença fundamental é que o FOMC nos EUA é o responsável pela compra e venda de Títulos Públicos, enquanto no Brasil esta tarefa fica a cargo do Tesouro Nacional.

Estímulos Econômicos

Conforme mencionamos anteriormente, existem alguns instrumentos à disposição do governo para aumentar a oferta de crédito e liquidez no mercado, dentre os quais destacamos:

Bitcoin neste cenário

21 milhões de Bitcoins, limite este que nunca será ultrapassado. Blocos minerados a cada dez minutos com redução na premiação – halving – a cada 4 anos, além do ajuste de dificuldade a cada 1.440 blocos para assegurar esta intervalo médio. Esta é a “política monetária” do Bitcoin criada por Satoshi Nakamoto e reforçada pelo consenso, sua rede de usuários.

Quando comparamos esta regra relativamente simples com a flexibilidade e possibilidade de emissão infinita das moedas tradicionais, passamos finalmente a entender por que o Bitcoin se beneficia deste cenário caótico de intervenções trilionárias.

Ainda tem dúvidas sobre quantos Bitcoins existem? Aproveite também para ler este outro artigo, no qual falamos sobre como funciona a mineração de Bitcoin.


Sugestão: Cadastre-se na BitcoinTrade, faça sua primeira compra e comece a acompanhar mais de perto o mercado de criptomoedas