Os mercados acionários descolaram completamente dos dados de desemprego e desempenho das economias, com o S&P500 dos EUA subindo mais de 30% da mínima em 23 de março. Foram 30 milhões de pedidos de auxílio desemprego nos EUA só nas últimas 6 semanas. 

No Brasil, o cenário não é muito diferente. O índice Ibovespa apresentou uma valorização de 10% no mês, apesar da curva ainda crescente nos casos de coronavírus.

Na teoria, os pacotes de estímulo são benéficos para as empresas, que aproveitam para reduzir juros da dívida e se capitalizar. No entanto, isto não causa necessariamente crescimento econômico. O mercado financeiro está navegando por águas nunca testadas, e justamente por isto ouro e Bitcoin tomaram a liderança de retornos no ano.

Afinal, o que querem os investidores?

Parece que adentramos no perigoso território de “quanto pior, melhor”. Os investidores passam a torcer pela piora nos dados buscando medidas de estímulo ainda maiores dos governos, além da manutenção dos juros baixos pelos Bancos Centrais. 

O PIB dos EUA retraiu 4,8%, pior ritmo desde a crise de 2008, enquanto a produção industrial do Japão cedeu 5,2% ante o ano anterior. O indicador da indústria (PMI) na Zona do Euro ficou em 13,5, muito abaixo da estimativa de mercado e 25,7. 

É importante lembrar que só no final do mês os famosos cheques de USD 1.200 do pacote de estímulo norte-americano começaram a chegar aos destinatários. Além disto, um valor adicional de USD 484 bilhões foi aprovado pelo Congresso exclusivamente para a área de saúde e empresas de porte menor.

Principais criptomoedas, ativos e bolsas mundiais – até 30/Abr

Notícias do mundo cripto:

Grayscale: Fundos de investimentos cripto da gestora Grayscale, listados na bolsa norte-americana, tiveram captação líquida de 500 milhões de Dólares no 1º trimestre de 2020

Stablecoins: Comitê de Estabilidade Financeira (FSB) do G20, grupo dos 20 países mais dominantes na economia, soltou um relatório consultivo recomendando forte regulação nas stablecoins

Seguradoras: Estado norte-americano do Wyoming passou a permitir que seguradoras façam investimentos em criptomoedas

Bitcoin (BTC): Renaissance Technologies, um dos maiores e mais bem sucedidos fundos de investimento multimercado do mundo, solicitou autorização da CME para transacionar futuros de Bitcoin

Bitcoin (BTC): Fidelity Digital Assets autorizou clientes a negociarem BTC através da exchange regulada ErisX 

Ethereum (ETH): Vitalik Buterin afirmou que inflação anual no ETH 2.0 será reduzida de 4,7 milhões de novas moedas para menos de 2 milhões

Ethereum (ETH): Tokens de Tether emitidos na rede Ethereum superam a marca de 5 bilhões

Bitcoin Cash (BCH): Atravessou seu primeiro halving no início de Abril, reduzindo a bonificação por bloco minerado para 6,25 BCH

Bitcoin Cash (BCH): Stefan Rust, que havia assumido o cargo de CEO da empresa Bitcoin.com de Roger Ver apenas 8 meses atrás, abandonou o projeto

Litecoin (LTC): Anunciou a entrada de David Tavarez no desenvolvimento da extensão MimbleWimble, que trará mais privacidade às transações

Ripple (XRP): Vendas de XRP pela empresa Ripple caem ao menor nível na história, apenas USD 1,75 milhão. Todo mês são liberados 1 bilhão de moedas para venda, mas optaram por não pressionar o preço

EOS (EOS): Empresa de auditoria Grant Thornton lançou plataforma Inter.x para registro de transações entre empresas do mesmo grupo econômico, utilizando tecnologia EOSIO

EOS (EOS): De acordo com site blocktivity, rede EOS atingiu recorde de 102 milhões de transações processadas em 24 horas

Além das Criptomoedas

Bolsas pelo mundo

Num incrível movimento de resiliência, as ações do S&P500 nos EUA encerraram o mês em alta de 12,6%. Nem mesmo o número recorde de pedidos de auxílio desemprego foi suficiente para conter o ânimo dos investidores, na expectativa de bons lucros de empresas importantes. O pacote de estímulo trilionário, além da compra de ativos pelo Federal Reserve (FED) tem dado segurança ao investidor, ao menos no curto prazo. Na Inglaterra o FTSE100 encerrou o mês com ganhos de 4%. Em geral, os investidores parecem acreditar que já deixamos o pior para trás, por isso o momento pode ser bom para investimentos de longo prazo.

O mercado trabalha com a expectativa de novas rodadas de estímulo pelos Bancos Centrais, além de melhoras nos números de casualidades do Coronavírus. Algumas cidades importantes nos EUA e Europa anunciaram reabertura parcial nas próximas semanas, enquanto dados de Produção Industrial (PMI) na China mostraram uma retomada no mês de março.

Quem se deu bem:

Wayfair (W EUA) varejista online de decoração subiu 132% após reduzir quadro de funcionários e se beneficiar da competição tradicional, que estava de portas fechadas

Randon Part PN (RAPT4) subiu 56% após reportar resultado operacional de março 3% acima do ano anterior

Minerva ON (BEEF3) subiu 54% com excelente resultado no 1º trimestre, beneficiado pelas exportações

Quem se deu mal:

Han Chang Paper (009460 Coreia) fabricante de embalagens e material de papelão cedeu 41%

Natixis (KNp França): ações do banco cederam 29,5% após cancelar pagamento de dividendos referentes a 2019

Biontech (BNTX EUA): fabricante de vacinas cedeu 20% corrigindo alta criada por expectativas frustradas dos investidores

Petróleo pode custar menos que USD 0,01?

O “impossível” aconteceu em 20 de abril, quando a cotação do petróleo futuro negociado na bolsa de valores Nymex-CME encerrou o dia cotado a 37,63 Dólares negativos. O comprador do barril recebe dinheiro pra levar o produto. Só há um detalhe: deve ser retirado em Oklahoma, nos EUA. 

Por conta da queda nos preços, a oferta de estocagem e transporte na região zerou completamente. As corretoras então foram obrigadas a liquidar forçadamente as posições de quem havia comprado e não tinha condições de receber o produto, causando um colapso total nas cotações.

Um único banco na China teve prejuízos de USD 1,27 bilhão decorrentes de investidores de varejo que haviam comprado produtos atrelados à performance do petróleo futuro. As garantias depositadas pelos clientes não foram suficientes pra cobrir a perda da Nymex-CME.

Libra do Facebook muda os planos

Em meados de Abril o projeto Libra, liderado pelo Facebook, abandonou a idéia de criar sua criptomoeda própria, lastreada numa cesta de moedas fiduciárias. Com a pressão regulatória, optaram por lançar stablecoins separadas para moedas específicas como Dólar, Euro e Libra.

Isto não é nenhuma novidade em termos de produto, pois já existem stablecoins similares, até mesmo reguladas, disponíveis no mercado. O diferencial, segundo o co-fundador David Marcus, será o combate à lavagem de dinheiro e possibilidade de aplicar sanções determinadas por governos e da própria polícia.

Definitivamente um balde de água fria no quesito inovação. Deixou claro que mesmo empresas gigantes com grande apoio ficam limitadas quando o assunto é valor fiduciário, a moeda dos governos.


E aí, tá com dúvida do halving ou quer aprender um pouco mais sobre algum outro projeto? Visite nosso Instagram e Youtube e acompanhe nossas dicas!