Quando algo novo surge no mercado é normal que muitas pessoas tenham insegurança sobre a novidade – especialmente se ela for bastante tecnológica ou disruptiva, como é o caso do Bitcoin. Diante disso, surgem certas especulações tentando desmerecer a inovação, como o fato de alguns difundirem que o Bitcoin e as criptomoedas, na verdade, se tratam de um esquema Ponzi.

Essa é uma alegação totalmente infundada, afinal tanto o Bitcoin como as criptomoedas sérias possuem características que os distinguem totalmente dos golpes como pirâmides e esquema Ponzi.

Quer entender melhor esse tema? Continue a leitura!

O que é esquema Ponzi?

O esquema Ponzi é um golpe que nasceu em 1920, nos Estados Unidos, criado por Charles Ponzi. Podemos defini-lo como um golpe de investimento, no qual o golpista promete ganhos acima da média do mercado com pequenos riscos para o investidor.

Ao contrário de outros esquemas, no Ponzi não há a venda de produtos ou serviços, mas a captação de novos investidores. Assim, os golpistas ludibriam os interessados que acreditam estarem diante de uma oportunidade única.

De uma maneira geral, o esquema funciona assim: um falso gestor de investimentos se oferece para cuidar do dinheiro da vítima, prometendo ganhos acima da média e riscos mínimos. Normalmente, a promessa é de que a vítima receberá ganhos mensais com o investimento.

Porém, esses investimentos nunca são realizados. 

O “gestor” pega o dinheiro dos membros mais novos e compensa os mais antigos, até o momento em que interrompe o fluxo de dinheiro e some com a quantia de todas as pessoas enganadas.

O esquema Ponzi classicamente apresenta algumas características, como:

História

O golpe recebeu esse nome graças ao seu “criador” Charles Ponzi. Italiano, ele imigrou para os Estados Unidos onde permaneceu por um tempo antes de ir morar no Canadá, país no qual foi condenado a 3 anos de prisão por falsificar cheques.

Quando saiu da prisão, Ponzi retornou aos Estados Unidos e, após se casar em Boston, ele executou uma das maiores fraudes da história com um esquema que arrecadou cerca de 50 bilhões de dólares, nascendo o esquema Ponzi.

Embora Charles Ponzi não tenha inventado esse golpe, ele foi, sem dúvida, o que obteve maior êxito – e por isso acabou dando nome ao esquema.

Esquema Ponzi e Pirâmide: quais as diferenças e semelhanças?

A pirâmide financeira é outro tipo de golpe bastante comum. Ela nasceu nos países da União Soviética e é bem semelhante ao esquema Ponzi. Mas, na pirâmide, o que ocorre é a necessidade de pagamento para um membro “superior” para que se consiga vender um determinado produto.

Esse tipo de esquema funciona assim: uma pessoa oferece a outra a “chance imperdível” de vender determinado produto, mas, para isso, será preciso pagar uma determinada quantia para entrar no esquema e poder começar o negócio, recrutando mais pessoas da mesma forma. 

É assim que se forma uma pirâmide.

Também é comum golpes que unem o esquema Ponzi com o sistema de pirâmide, com a presença de um “gestor” que oferece retornos sobre o investimento e oferece uma bonificação às vítimas que recrutar outras pessoas para o esquema.

Assim, a principal diferença é que, no esquema de pirâmide, ao invés da presença do “gestor”, há uma “empresa” da qual todos os integrantes fazem parte.

De qualquer forma, tanto no esquema Ponzi como na pirâmide, os membros são qualificados em níveis distintos, como “membros gold”, “membro ouro” etc. – normalmente termos associados a esquemas fraudulentos.

Enquanto a pirâmide está em funcionamento, os membros acabam ganhando uma porcentagem sobre o valor investido dos convidados, dando a falsa sensação de que o negócio não é um golpe. Porém, tanto as pirâmides como o esquema Ponzi não são sustentáveis, porque não existe, verdadeiramente, a produção ou criação de receita, apenas o repasse.

Por que o Bitcoin não é um esquema Ponzi?

Bitcoin é uma moeda séria e segura. 

Quem não conhece o Bitcoin e o universo das criptomoedas pode até ser levado a pensar que ele também é mais um esquema Ponzi. Mas a verdade é bem diferente e nós vamos explicar isso ponto a ponto.

1) Quando o Bitcoin surgiu (e na proposta original de Satoshi Nakamoto publicada no final de 2008) não havia nenhuma menção de retorno financeiro e nem um preço definido para o Bitcoin. No início, possuir Bitcoin era algo apenas para um grupo restrito, sem especulações financeiras envolvidas.

2) Absolutamente nada sobre Bitcoin é segredo, pelo contrário, a Blockchain é uma das tecnologias mais abertas e democráticas do mundo. Ela é de fonte aberta e qualquer pessoa pode analisar o seu código e contribuir para ele, além de qualquer pessoa conseguir executar o software voluntariamente e participar da rede. Todo o histórico de transações de Bitcoin está visível para qualquer pessoa no mundo, ainda que haja a manutenção do anonimato dos usuários.

3) Bitcoin não gera lucros e não promete lucros aos seus interessados. Ele é um software e o preço do Bitcoin está diretamente relacionado à sua escassez e demanda.

4) A demanda não é forçada, nenhum “defensor” do Bitcoin sai às ruas ou pela internet pedindo às pessoas para investirem em Bitcoin. Quando novos usuários se juntam à comunidade de Bitcoin, eles não financiam os usuários mais antigos.

5) Em um esquema Ponzi ou pirâmide, apenas os investidores do topo ganham, já que o dinheiro flui para o topo. Com o Bitcoin, todos podem lucrar e existem investidores novos, que conhecem bem o mercado, e já obtêm uma boa lucratividade e outros que usam a moeda digital para comprar diversas mercadorias e serviços.

É importante entender que o Bitcoin é uma criptomoeda. Ou seja, ela é uma moeda financeira tanto quanto o dólar, o real ou o euro – embora haja diferenças significativas na sua forma de funcionamento.

Ao investir em Bitcoin, você poderá usá-lo para comprar produtos ou serviços ou mantê-lo e vendê-lo acompanhando as alterações de cotação no seu preço. Da mesma forma caso você comprasse dólares, por exemplo. E isso não se assemelha em nada a um esquema Ponzi.

As promessas milagrosas

Uma das principais características de um esquema Ponzi ou de uma pirâmide financeira é a promessa de ganhos astronômicos, com riscos baixos e em um período de tempo muito curto.

Isso, infelizmente, pode ocorrer em qualquer setor. O golpista pode dizer estar “vendendo” ou “gerindo” fundos de ações que nunca existiram – ou pode dizer estar investindo em Bitcoins e até em criptomoedas falsas.

O mais importante para reconhecer se você está diante de um golpe ou não é avaliar a promessa do investimento. Se você não tem conhecimento do setor e alguém lhe diz ser possível ganhar dinheiro fácil, rápido e sem riscos, desconfie. Isso para qualquer setor!

Ganhar dinheiro com Bitcoin é possível – e inúmeras pessoas têm conseguido esse feito. Mas, assim como qualquer investimento sério, é preciso tempo e conhecimento de mercado, além de compreensão sobre os riscos envolvidos.

Por isso, se alguém lhe oferecer algum esquema “milagroso” (seja com criptomoedas ou não), em que você terá lucros astronômicos, em pouco tempo e sem riscos – e só precisará investir uma pequena quantia inicial, desconfie. Você pode estar diante de um esquema Ponzi!

Conclusão

Neste conteúdo, você viu que o Bitcoin não é um esquema Ponzi. Afinal, a criptomoeda não se baseia em recrutar novos usuários e nem na bonificação dos usuários mais antigos a partir da captação de outros mais novos.

O Bitcoin é uma criptomoeda e o seu valor de mercado está associado a lei da oferta e da procura. Como qualquer investimento, para obter retorno, é preciso conhecer o mercado, entender o funcionamento da criptomoeda e ser sensato.

Agora que você entendeu por que Bitcoin não é um esquema Ponzi, que tal começar a investir em Bitcoins?